Bolsonaro está levando o país para uma tempestade perfeita, diz Mercadante

Ex-ministro Aloizio Mercadante, em entrevista à TV 247, falou sobre a política internacional brasileira e os impactos dela na situação econômica do Brasil; “Não subestimem os problemas internacionais, somos menos e 2% da economia mundial. O que acontece lá fora e as implicações do que vai acontecer lá fora para dentro são muito graves”, afirmou. Assista

 
 

247 - O ex-ministro Aloizio Mercadante conversou com a TV 247 sobre os impactos da política externa do governo Jair Bolsonaro e lembrou a agressão feita pelo presidente brasileiro aos candidatos à presidência argentina, Alberto Fernández e Cristina Kirchner.

Em meio às trapalhadas diplomáticas do governo, Mercadante lembrou que outros países também estão desacelerando suas economias, o que faz com que seja necessário cuidado com os diálogos internacionais.  

“Nós estamos cavando um buraco muito fundo, a situação internacional é muito delicada, exigiria muito cuidado muito esforço diplomático, muita interlocução e muito diálogo. As principais economias do mundo estão desacelerando fortemente, a Alemanha, maior economia da Europa, está entrando em uma recessão, a França já não vinha bem, a Itália não vem bem, o Japão e agora a China estão desacelerando”.

O ex-ministro disse também que Bolsonaro e sua equipe estão levando o Brasil para uma tempestade perfeita e que a população brasileira está começando a acordar.  

“Não subestimem os problemas internacionais, somos menos e 2% da economia mundial. O que acontece lá fora e as implicações do que vai acontecer lá fora para dentro são muito graves. O dólar a R$ 4 significa inflação, quando sobe nessa velocidade rapidamente, todos os produtos importados estão ficando mais caros, ao ficarem mais caros você pressiona a inflação e o Banco Central aumenta os juros, o aumento dos juros é o aumento do custo da dívida pública. Eles estão caminhando o país para uma tempestade perfeita, e a rua está começando a chegar”.

Argentina

Aloizio Mercadante pontuou a importância da relação entre Brasil e Argentina, principal parceiro econômico do Brasil no Mercosul, após Bolsonaro ter chamado candidatos à presidência argentina, Alberto Fernández e Cristina Kirchner, de “bandidos de esquerda”.  

“Nós viemos, na época das ditaduras militares, de uma forte tensão com a Argentina mas as nossas relações comerciais se intensificaram muito, é um grande parceiro comercial. Nós exportamos aproximadamente US$ 22 bilhões para o Mercosul, a Argentina é o principal parceiro e 90% das nossas exportações são produtos industrializados. Então a crise argentina atinge o Brasil”.

Ele também lembrou a carreira de Fernández na política e afirmou que o Brasil tem de evitar um novo clima de tensão entre os dois países. “Você tem um homem público com larga experiência, o Alberto Fernández, que governou e tirou a Argentina do Corralito, da hiperinflação com Néstor Kirchner e seguiu com Cristina Kirchner. Mesmo que ele tenha alguma preferência, o Brasil não pode entrar em um debate como esse dessa forma grosseira e desqualificada porque nós vamos ter outro tensionamento com a Argentina”.

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247