Bolsonaro mantém cobrança de bagagem em voos domésticos

O presidente Jair Bolsonaro vetou o trecho da medida provisória aprovada pelo Congresso Nacional que determinava a gratuidade para bagagem de até 23 quilos em aviões com capacidade acima de 31 lugares, nos voos domésticos  

247 - Conforme já havia adiantado, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) vetou a gratuidade das bagagens em voos domésticos ao sancionar a medida provisória que abre 100% do capital para as aéreas estrangeiras.

Em uma transmissão nas redes sociais, Bolsonaro afirmou que está convencido a vetar a medida porque era uma proposta que obriga as empresas de aviação a despachar bagagens gratuitamente porque foi autoria de um parlamentar do PT e ainda evidenciou o seu preconceito aos pobres.

"Eu fui convencido a vetar o dispositivo. Não só porque é do PT. Se bem que é um indicativo. Os caras são socialistas, comunistas, são estatizantes. Eles gostam de pobre", afirmou.

Mas segundo justificativa apresentada para vetar a medida, Bolsonaro disse que foi "por uma avaliação econômica" e que por isso, o melhor é restringir o direito de despachar malas sem custos.

A medida, aprovada no mês passado pelo Congresso Nacional, determinava a gratuidade para bagagem de até 23 quilos em aviões com capacidade acima de 31 lugares, nos voos domésticos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247