Bolsonaro nega responsabilidade de seu governo pela crise energética

O ocupante do Palácio do Planalto é negacionista também na avaliação sobre as causas da crise energética, que ele atribui apenas a mudanças climáticas

www.brasil247.com - Brasil pode prevenir crise energética, diz comitê
Brasil pode prevenir crise energética, diz comitê


BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro creditou às mudanças climáticas a escassez hídrica que o Brasil está enfrentando --apesar de já ter questionado várias vezes o aquecimento global-- e afirmou que o país está agindo com "planejamento, seriedade e transparência".

Com a pior seca em quase um século na região Sudeste do país, o Brasil enfrenta riscos de racionamento e apagões, mas o governo federal ainda aposta em medidas de redução voluntária de consumo.

A declaração, em discurso em vídeo gravado, foi feita em um painel sobre transição energética organizado pela Organização das Nações Unidas às margens da Assembleia-Geral, que acontece esta semana em Nova York.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Bolsonaro disse ainda que o Brasil está disposto a contribuir com o mundo para a transição energética e apoia a mudança da matriz de combustíveis para transportes públicos, investindo em motores a hidrogênio.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"O Brasil está posicionado para produzir hidrogênio de forma competitiva e com escala para suprir nossas próprias necessidades e exportar para outros mercados", afirmou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email