Bolsonaro revela medo de que Flávio seja preso

Em conversas com aliados, Jair Bolsonaro expressou o temor da prisão do seu filho Flávio, alvo de graves denúncias de corrupção pela prática ilícita das "rachadinhas" quando era deputado estadual no Rio de Janeiro. Sua ordem é para que ninguém do governo toque no assunto em público.

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 -  Jair Bolsonaro revelou a aliados que teme a prisão do seu filho Flávio depois que vieram à tona as denúncias do Ministério Público do Rio de Janeiro sobfre a prática ilícita das rachadinhas em seu gabinete quando era deputado estadual. 

A ordem no Palácio do Planalto é para que ninguém do governo comentge o assunto em público. 

Supostamente, a preocupação é que "o tema seja explorado politicamente pelos partidos de oposição, gerando uma instabilidade desnecessária", como definiu um aliado de Jair Bolsonaro, segundo reportagem da Folha de S.Paulo. 

O ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, disse que existe "zero possibilidade" de a operação afetar o governo. "Negativo, zero possibilidade", ressaltou Ramos.

Na mesma linha, o ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, afirmou que "de jeito nenhum" ela pode prejudicar o andamento da máquina pública.

Nesta quarta-feira, após a deflagração da operação, Bolsonaro manteve-se calado sobre as graves denúncias contra seu filho.

A reportagem dos jornalistas Gustavo Uribe e Talita Fernandes destaca que nas últimas semanas, deputados e senadores que conversaram com Jair Bolsonaro relataram que o titular do Executivo federal demonstrava sinais de abatimento com o receio de que a investigação contra o seu filho mais velho tivesse novas reviravoltas. O assunto, segundo eles, era o que mais incomodava Bolsonaro neste fim de ano. Nas palavras de um dos seus aliados, desde o fim de novembro, Bolsonaro temia uma possibilidade de prisão e, "de cada dez assuntos que discutia, dois se referiam à situação do filho".  

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247