Bolsonaro torra 13 milhões com publicidade de remédios ineficazes contra a Covid-19

RecordTV é responsável pelo contrato mais caro: o governo embolsou 1,31 milhão de reais para exibir a campanha na emissora, com alcance nacional

Bolsonaro corre atrás de ema com cloroquina
Bolsonaro corre atrás de ema com cloroquina (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Carta Capital - O governo de já gastou 6,1 milhões de reais para fazer propaganda do chamado ‘tratamento precoce’ da Covid-19, baseado em medicamentos ineficazes contra a doença. Os repasses, no entanto, devem atingir a cifra de 13 milhões de reais, segundo o site Congresso em Foco.

O montante foi pago à agência Calia/Y2, responsável pelas peças e pela negociação da veiculação em emissoras de rádio e TV e em espaços de mídia exterior.

De acordo com o site, a RecordTV é responsável pelo contrato mais caro: a Calia/Y2 embolsou 1,31 milhão de reais para exibir a campanha na emissora, com alcance nacional. O grosso das notas fiscais ligadas à campanha, no entanto, se refere a propagandas em emissoras de rádio: 158 das 259.

O Ministério das Comunicações confirmou os números divulgados e afirmou que os valores recebidos pela agência não contemplam nem 50% do esperado para a campanha.

“Considerando o valor total estimado para a campanha, espera-se que a agência de publicidade ainda encaminhe documentos fiscais e comprovantes referentes a cerca de R$13 milhões”, informou em nota a Secretaria de Comunicação. A campanha publicitária foi produzida pelo Ministério da Saúde, mas recebeu ‘reforço’ Secretaria de Comunicação da Presidência da República.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email