Bolsonaro usou 'justificativa torpe' para deixar a Unasul, diz PT

Para o PT, a saída do Brasil da União das Nações Sul-americanas (Unasul) e o imediato ingresso do país no Prosul, criado para ser um bloco ideológico de extrema-direita no continente, foi "justificada por argumentos torpes" pelo governo do presidente Jair Bolsonaro; tendo como um de seus lemas a defesa dos direitos humanos, o PT ressalta que o presidente Jair Bolsonaro extinguiu "por decreto" a atuação da sociedade civil nas decisões do governo

Bolsonaro usou 'justificativa torpe' para deixar a Unasul, diz PT
Bolsonaro usou 'justificativa torpe' para deixar a Unasul, diz PT (Foto: Ricardo Stuckert/Agência Brasil)

247 - Para o PT, a saída do Brasil da União das Nações Sul-americanas (Unasul) e o imediato ingresso do país no Prosul, criado para ser um bloco ideológico de extrema-direita no continente, foi "justificada por argumentos torpes" pelo governo do presidente Jair Bolsonaro. Segundo nota do partido; "o PROSUL exigirá como requisitos essenciais de seus membros "a plena vigência da democracia e o respeito aos direitos humanos"'.

"Muito nos impressiona o governo de Jair Bolsonaro corroborar com tal argumento na mesma semana em que o presidente extingue por decreto "conselhos, comitês, comissões, grupos, juntas, equipes, mesas, fóruns, salas e qualquer outra denominação dada ao colegiado" federais com atuação da sociedade civil. Cabe também lembrar a falta de apreço deste governo pelos direitos humanos, com declarações racistas, xenófobas, LGBTIfóbicas de Bolsonaro" ressalta o texto assinado pela presidente nacional da legenda, deputada Gleisi Hoffmann (PR) e pela secretária de Relações Internacionais, Monica Valente.

Leia a íntegra da nota.

O Partido dos Trabalhadores repudia veementemente a saída do Brasil da União das Nações Sul-americanas (Unasul) justificada por argumentos torpes pelo atual governo brasileiro. A Unasul foi criada em 2008 por iniciativa dos governos da região com participação dos doze países sul-americanos para promover a integração econômica, social, cultural e política entre seus membros. Na qualidade de espaço de concertação entre os países, criou seu Conselho de Defesa e reafirmou a região como zona de paz.

A nota oficial divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores indica o Foro para o Progresso da América do Sul (PROSUL) como substituição da Unasul. De acordo com o documento, o PROSUL exigirá como requisitos essenciais de seus membros "a plena vigência da democracia e o respeito aos direitos humanos".

Muito nos impressiona o governo de Jair Bolsonaro corroborar com tal argumento na mesma semana em que o presidente extingue por decreto "conselhos, comitês, comissões, grupos, juntas, equipes, mesas, fóruns, salas e qualquer outra denominação dada ao colegiado" federais com atuação da sociedade civil. Cabe também lembrar a falta de apreço deste governo pelos direitos humanos, com declarações racistas, xenófobas, LGBTIfóbicas de Bolsonaro.

Repudiamos veementemente a saída do Brasil da Unasul e sua substituição pelo PROSUL. Ao tomar mais essa decisão equivocada, demonstra a subordinação da política externa a interesses alheios à soberania nacional.

Gleisi Hoffmann
Presidenta Nacional

Monica Valente
Secretária de Relações Internacionais

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247