Boulos após nova Vaza Jato: o que falta para o STF anular essa fraude?

"'No mundo jurídico concordo com vc, é relevante. Mas a questão jurídica é filigrana dentro do contexto maior que é político" (Deltan sobre divulgação de grampo de Lula). Aí está a confissão: nunca foi questão de justiça, foi política pura. O que falta pro STF anular essa fraude?", escreveu no Twitter o ex-presidenciável Guilherme Boulos, líder do MTST

247 - O ex-presidenciável Guilherme Boulos (PSOL), coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), cobrou do Supremo Tribunal Federal reação contra as ilegalidades da Lava Jato. De acordo com novas revelações do Intercept Brasil, Sérgio Moro e procuradores do Ministério Público Federal (MPF-PR) selecionaram um de 22 diálogos de Lula para divulgar de forma ilegal e dar a entender que o ex-presidente queria ser blindado de investigações com uma eventual posse pra a Casa Civil em 2016, no então governo Dilm Rousseff.

"No mundo jurídico concordo com vc, é relevante. Mas a questão jurídica é filigrana dentro do contexto maior que é político" (Deltan sobre divulgação de grampo de Lula).  Aí está a confissão: nunca foi questão de justiça, foi política pura. O que falta pro STF anular essa fraude?", escreveu o ativista no Twitter.

A reportagem do Intercept em parceria com a Folha de S.Paulo apontou que os outros 21 diálogos de Lula demonstraram que ele estava em dúvida se aceitaria ou não o convite para ser ministro da Casa Civil. 

"Outras ligações interceptadas pela polícia naquele dia, mantidas em sigilo pelos investigadores, punham em xeque a hipótese adotada na época por Moro, que deixou a magistratura para assumir o Ministério da Justiça no governo Jair Bolsonaro (PSL)", diz a matéria. 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247