Braga Netto proíbe compra de bebidas para as Forças Armadas

"Nós já fizemos uma recomendação para que isso [compra de bebidas alcoólicas] seja evitado", disse o ministro da Defesa, Walter Braga Netto, à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle. Dez parlamentares do PSB haviam denunciado que a instituição militar usou dinheiro público para comprar 714 mil quilos de picanha e 80 mil cervejas, além de outros bacalhau e salmão

Ministro da Defesa, Braga Netto
Ministro da Defesa, Braga Netto (Foto: Agência Brasil | Reprodução I Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O ministro da Defesa, Walter Braga Netto, afirmou em audiência nesta quarta-feira (12) que recomendou a suspensão da compra de bebidas alcoólicas com dinheiro público pelas Forças Armadas. Dez parlamentares do PSB haviam denunciado que a instituição militar usou dinheiro público para comprar 714 mil quilos de picanha, 80 mil cervejas, 150 mil quilos de bacalhau e 438,8 mil quilos de salmão.

Netto disse que o insumo era consumido em confraternizações após "atividade estressante". "Nós já fizemos uma recomendação para que isso [compra de bebidas alcoólicas] seja evitado", disse ele à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle nesta quarta (12). "Não vou comentar situações que ocorreram no passado. O pessoal vai para uma atividade estressante, quando voltavam (sic) era feita uma confraternização... Isso é feito hoje em dia com contribuição de cada um", acrescentou. 

"A medida adotada pelo ministro é uma prova de que a compra desses itens foi imoral", afirmou o deputado federal Elias Vaz (PSB-GO). A entrevista foi publicada pela coluna de Mônica Bergamo

PUBLICIDADE

"Além da cerveja, o governo gastou milhões com toneladas de picanha, filé, bacalhau e salmão, alimentos que não estão no cardápio da maioria dos brasileiros. No caso das bebidas, a justificativa é de que seriam para eventos festivos. É um absurdo, em plena pandemia, nesse momento de dificuldade, o governo ter esse tipo de gasto", acrescentou. 

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email