Campanha do governo pela reforma da Previdência é contestada nas redes sociais

O governo Temer lançou mais uma ofensiva publicitária na tentativa de aprovar o seu projeto de reforma da Previdência, que restringe o acesso às aposentadorias; são vídeos a serem veiculados nas redes sociais que insistem no déficit no sistema, e que as supostas distorções colocam em risco o pagamento das aposentadorias; no Twitter, a hashtag #TodosPelaReforma ocupava a segunda posição entre os assuntos mais comentados no Brasil; a maioria das mensagens também criticava a campanha do Planalto

O governo Temer lançou mais uma ofensiva publicitária na tentativa de aprovar o seu projeto de reforma da Previdência, que restringe o acesso às aposentadorias; são vídeos a serem veiculados nas redes sociais que insistem no déficit no sistema, e que as supostas distorções colocam em risco o pagamento das aposentadorias; no Twitter, a hashtag #TodosPelaReforma ocupava a segunda posição entre os assuntos mais comentados no Brasil; a maioria das mensagens também criticava a campanha do Planalto
O governo Temer lançou mais uma ofensiva publicitária na tentativa de aprovar o seu projeto de reforma da Previdência, que restringe o acesso às aposentadorias; são vídeos a serem veiculados nas redes sociais que insistem no déficit no sistema, e que as supostas distorções colocam em risco o pagamento das aposentadorias; no Twitter, a hashtag #TodosPelaReforma ocupava a segunda posição entre os assuntos mais comentados no Brasil; a maioria das mensagens também criticava a campanha do Planalto (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rede Brasil Atual - O governo Temer lançou nesta segunda-feira (5) mais uma ofensiva publicitária na tentativa de aprovar o seu projeto de reforma da Previdência, que restringe o acesso às aposentadorias. São vídeos a serem veiculados nas redes sociais que insistem no déficit no sistema, e que as supostas distorções colocam em risco o pagamento das aposentadorias.

Antecipando a campanha, o governo criou uma identidade visual com o lema Todos Pela Reforma da Previdência pro Brasil Não Quebrar, postado no perfil oficial do Planalto no Facebook. A propaganda não foi bem recebida pelos usuários, que rebateram.

No Twitter, a hashtag #TodosPelaReforma ocupava a segunda posição entre os assuntos mais comentados no Brasil. A maioria das mensagens também criticava a campanha do Planalto. Muitos acusaram o governo de fazer uso de robôs e perfis falsos para estimular a propagação da discussão.

Outros lembraram que, para o Brasil não quebrar, era preciso rever as regras de concessão de auxílio-moradia a juízes e políticos, repercutindo polêmica surgida após revelações de magistrados recebendo o benefício, mesmo quando possuem imóveis próprios na localidade de trabalho. 

Outra questão destacada pelos usuários é que, para equilibrar as contas da Previdência, em vez de alterar os critérios de acesso às aposentadorias, o governo deveria se dedicar a combater a sonegação, além de executar a cobrança aos grandes devedores da Previdência.

As pessoas ressaltaram ainda os recursos concedidos a deputados, por meio de emendas parlamentares, para garantir o apoio à aprovação da reforma, ou em votações anteriores, como no caso das denúncias contra Temer arquivadas pela Câmara.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247