Candidato à PGR associa-se a Bolsonaro e a teses da direita

O subprocurador-geral Augusto Aras, considerado favorito para assumir a Procuradoria-Geral da República no lugar de Raquel Dodge, fez elogios a Bolsonaro, defendeu teses da direita e indicou que está disposto a montar uma equipe de perfil conservador caso seja indicado

Subprocurador-geral Augusto Aras
Subprocurador-geral Augusto Aras (Foto: Roberto Jayme/Ascom/TSE)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O subprocurador-geral Augusto Aras, considerado favorito para assumir a Procuradoria-Geral da República no lugar de Raquel Dodge, fez elogios a Bolsonaro, defendeu teses da direita e indicou que está disposto a montar uma equipe de perfil conservador caso seja indicado. 

Em entrevista a Reynaldo Turollo Jr. na Folha de S.Paulo, Aras rebateu críticas que recebeu de bolsonaristas nas redes sociais por causa de discursos antigos que, segundo ele, foram retirados de contexto para associá-lo à esquerda. "Se eu fosse do MST [como disseram] eu estaria sentado no Supremo Tribunal Federal", declarou.  

Aras criticou o julgamento do STF que criminalizou a homofobia, chamou de inaceitável a "ideologia de gênero" e defendeu o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro. 

"Eu começaria no plano administrativo convidando [para ser secretário-geral] o colega Eitel Santiago de Brito Pereira, que, uma vez aposentado, se candidatou [pelo PP] a deputado federal pela Paraíba e como tal apoiou o candidato Bolsonaro e fez um dos discursos mais inflamados contra o atentado [à faca] que sofreu o presidente", disse Aras.  "É um homem maduro, um homem católico, um homem que, quando havia ainda alguma distinção entre direita e esquerda, poderia ser enquadrado num viés de direita. Eu o teria do meu lado e seria muito honroso que isso acontecesse."  

Aras também disse que vai convidar para a gestão, caso seja escolhido, o procurador Ailton Benedito, chefe da Procuradoria em Goiás e conhecido nas redes por seu alinhamento ao conservadorismo.  

Leia a íntegra

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247