Chefes das Polícias Civis pedem que TSE feche clubes de tiro durante as eleições

Presidente da Corte Eleitoral se reuniu com chefes das polícias civis. Ideia é evitar casos de violência durante a votação. Aliados de Bolsonaro usam clubes para fazer campanha

www.brasil247.com -
(Foto: ABr)


247 - O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes, se reuniu nesta terça-feira (20) com chefes das Polícias Civis nos estados. 

Reunidos no Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil, a categoria solicitou que o TSE proíba o funcionamento de clubes de tiro nos dias das eleições. Segundo a Folha de S. Paulo, Moraes teria respondido que vai estudar uma forma de tirar a proposta do papel.

"Segundo pessoas que acompanharam a reunião, policiais argumentaram a Moraes que fechar os clubes de tiros nos dias 2 de outubro e 30 de outubro, onde houver segundo turno, é uma medida adicional para evitar a violência no pleito", diz a reportagem da Folha. 

O tribunal já vetou o porte de armas a menos de 100 metros de seções eleitorais nos dias das votações, nas 48 horas anteriores 

Nesta terça, o Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria para confirmar liminar concedida pelo ministro Edson Fachin que suspendeu os efeitos de uma série de decretos e outras normas editadas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro para flexibilizar o porte e a posse de armas, além da compra de munição.

Até o momento, seis dos 11 ministros do STF votaram para barrar temporariamente as normas e decretos do governo, e nenhum votou contra, em julgamento realizado no plenário virtual.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email