Ciro quer pedir desculpas a Pauderney, a quem chamou de ‘corretor de FHC’

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) busca o apoio do DEM e para isso se propôs a pedir desculpar para Pauderney Avelino (DEM-AM); Pauderney processa Ciro por injúria porque, em 2016, o hoje pré-candidato do PDT disse que o então líder do DEM tinha sido "corretor de Fernando Henrique Cardoso" na compra de votos pela aprovação da reeleição

Pré-candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, discursa em evento com sindicalistas em São Paulo 27/04/2018 REUTERS/Nacho Doce
Pré-candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, discursa em evento com sindicalistas em São Paulo 27/04/2018 REUTERS/Nacho Doce (Foto: Gustavo Conde)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O presidenciável Ciro Gomes (PDT) busca o apoio do DEM e para isso se propôs a pedir desculpar para Pauderney Avelino (DEM-AM). Pauderney processa Ciro por injúria porque, em 2016, o hoje pré-candidato do PDT disse que o então líder do DEM tinha sido "corretor de Fernando Henrique Cardoso" na compra de votos pela aprovação da reeleição.

“Tentando atrair apoio do chamado Centrão para sua campanha nas eleições 2018, o pré-candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, se comprometeu a pedir desculpas a integrantes do DEM. Nesta quinta-feira, 28, o secretário-geral do DEM, deputado Pauderney Avelino (AM), disse que aceita o pedido de desculpas de Ciro Gomes. Faz uma exigência, no entanto: que as desculpas ocorram no mesmo ambiente público em que Ciro o atacou.

(...)

Em novo aceno para os democratas, Ciro se comprometeu a telefonar para Avelino e disse que não há "nenhum problema" em fazer o pedido publicamente. "Falei para o ACM Neto (presidente do DEM): faça a lista de quem você achar que eu preciso ligar que eu ligo, sem nenhum problema", declarou Ciro, após dar uma palestra para investidores da corretora XP, em São Paulo.”

Leia mais aqui.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247