CNJ só deve avaliar procedimentos contra Moro em setembro

Os dois procedimentos instaurados no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para analisar a conduta de Sergio Moro - pela quebra do sigilo de uma conversa telefônica entre Dilma e Lula e pelo conflito jurídico do último final de semana acerca de um habeas corpus em favor de Lula - só devem ser avaliados pelo colegiado em setembro, quando o ministro dias Toffoli assumir a presidência do STF; ainda assim, muitos acham que o colegiado lançará no máximo uma advertência contra ele

CNJ só deve avaliar procedimentos contra Moro em setembro
CNJ só deve avaliar procedimentos contra Moro em setembro

247 - Os dois procedimentos instaurados no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para analisar a conduta de Sergio Moro só devem ser avaliados pelo colegiado em setembro, quando o ministro Dias Toffoli assumir a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF).

O primeiro procedimento, que está engavetado, trata da quebra do sigilo de uma conversa entre a presidente deposta Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Já o segundo diz respeito ao conflito jurídico do último final de semana acerca de um habeas corpus em favor de Lula.

"Como o ex-presidente está no centro dos episódios, membros do CNJ dizem que nada os impede de unir as ações", diz a coluna Painel, da Folha de São Paulo. "Ainda que o CNJ opte por punir o juiz, os que apostam mais alto acham que o colegiado lançará no máximo uma advertência contra ele", diz o texto.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247