Com acesso de robôs restrito, Bolsonaro diz ser censurado pelo Whatsapp

Presidente Jair Bolsonaro criticou o aplicativo de mensagens Wahtsapp por limitar o número de mensagens que podem ser encaminhadas de uma única vez; Bolsonaro, que fez uso massivo de robôs para potencializar a sua campanha eleitoral, diz que a imposição de limites é uma forma de “censura”; "Há censura em cima disso. Temos que lutar contra isso", completou

Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília
04/07/2019
REUTERS/Adriano Machado
Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília 04/07/2019 REUTERS/Adriano Machado (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

247 - O presidente Jair Bolsonaro criticou o aplicativo de mensagens Wahtsapp por limitar, desde janeiro deste ano, em apenas cinco o número de mensagens que podem ser encaminhadas de uma única vez. Bolsonaro diz considerar que a imposição de limites pelo aplicativo é uma forma de “censura” contra ele. "Uma maneira de me cercear foi diminuir o alcance do WhatsApp”, afirmou. "Há censura em cima disso. Temos que lutar contra isso", completou. 

Nas últimas eleições, apoiadores da candidatura de Bolsonaro ao Planalto fizeram uso de disparos em massa por meio do uso de robôs para favorecê-lo e para prejudicar a candidatura de Fernando Haddad. O uso destes sistemas é proibido pela legislação eleitoral. 

Na live, Bolsonaro também criticou o PT que, segundo ele, quis censurar a mídia, algo que ele disse que “jamais faria”. O presidente, que já acusou a mídia de produzir fake news contra ele e o seu governo, afirmou que trabalha pela liberdade de imprensa. 

O ex-capitão também disse saber “que tem muita gente mais competente” do que ele, mas que ele foi o eleito e afirmou que “quer você queira ou não, a minha caneta BIC aqui decide o futuro da sua vida”. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247