Com Moro no poder, Lava Jato tem seu pior ano, aponta Folha de S. Paulo

Até políticos conhecidos por apoiar a operação, como o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), passaram a criticar a equipe por causa do que consideraram práticas abusivas

O ministro da Justiça  Sergio Moro
O ministro da Justiça Sergio Moro (Foto: Jose Cruz/Agencia Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – "O ano que para a equipe da Lava Jato começou promissor por causa da posse de um aliado no Ministério da Justiça termina com uma série de derrotas em várias instâncias do Judiciário, estagnação de resultados e um inédito abalo em sua credibilidade", aponta reportagem de Felipe Bachtold, publicada na Folha de S. Paulo.

"Em meio a decisões do STF (Supremo Tribunal Federal) que revisaram pilares da operação, como a prisão de condenados em segunda instância, os procuradores da força-tarefa diminuíram a exposição pública diante da revelação de diálogos no aplicativo Telegram. As conversas divulgadas pelo site The Intercept Brasil e outros veículos, como a Folha, indicaram combinação de medidas com o ex-juiz Sergio Moro, o uso de informações sigilosas sem obedecer formalidades e até a articulação de uma empresa de palestras para lucrar com a visibilidade da operação", diz o jornalista.

Até políticos conhecidos por apoiar a operação, como o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), passaram a criticar a equipe por causa do que consideraram práticas abusivas.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247