Com ‘penduricalhos’, 65% dos juízes ganham acima do teto de R$ 39,3 mil

O Conselho Nacional da Justiça (CNJ) aprovou um auxílio que pode chegar a 10% do salário de juizes e servidores. Pesquisa feita pelo partido Novo mostra que, mesmo após o fim do pagamento de auxílio-moradia, 65% dos magistrados no País recebem acima do teto do funcionalismo em 2019

Sessão plenária do STF
Sessão plenária do STF (Foto: Nelson Jr./SCO/STF)

247 - O Conselho Nacional da Justiça (CNJ) aprovou na semana de sexta-feira 13 deste mês um auxílio que pode chegar a 10% do salário de juizes e servidores. Um magistrado no Brasil ficará muito próximo de ganhar o teto, que é de R$ 39,3 mil mensais. É mais do que o salário do presidente da República, de R$ 30.900,00.

Antes de aprovar o auxílio, o CNJ fez uma consulta a tribunais federais estaduais, e associações de juízes. De acordo com reportagem do jornal O Estado de S.Paulo, uma das justificativas veio da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), que havia feito pesquisa mostrando que mais de 90% dos magistrados se dizem mais estressados do que no passado.

"Pesquisa feita pelo partido Novo mostra que, mesmo após o fim do pagamento indiscriminado de auxílio-moradia, 65% dos magistrados no País estão recebendo acima do teto do funcionalismo em 2019. O porcentual já considera uma margem de R$ 1 mil, para excluir aqueles que passam do limite por auxílios menores, como o de alimentação. Na advocacia pública, que inclui advogados da União e procuradores federais, o porcentual é bem menor, de 15%", destaca a matéria.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247