Com propostas que extinguem direitos dos trabalhadores, Correios teme greve dos funcionários

Proposta diminui o ticket refeição, a remuneração das férias, a licença maternidade e o período de amamentação, e extingue indenização o pagamento de multas dos funcionários, o vale cultura, o transporte noturno e a indenização por morte ou invalidez

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Propostas da direção dos Correios para alterar alguns benefícios dos trabalhadores da estatal tem sido alvo de críticas dos funcionários e dos sindicatos. O presidente da empresa, general Floriano Peixoto, afirmou à coluna de Carla Araújo, no Uol, que a proposta apresentada pela direção "é condizente com sua situação financeira e a realidade do país".

"Considerando a missão do gestor público em zelar pela boa administração, é dever da Diretoria dos Correios implementar os ajustes propostos, pois, sem eles, haverá grave comprometimento da situação econômica da empresa", disse.

Entre as medidas propostas está uma alteração no ticket refeição, que, segundo o general, a concessão atual "extrapola a jornada laboral, alcançando o recesso semanal e as férias dos empregados". O presidente quer diminuir o ticket para contemplar apenas os dias de trabalho, para economizar cerca de R$ 20 milhões mensais.

Outra medida é referente à remuneração das férias. Atualmente, os funcionário recebem 2/3 de adicional ao salário. A redução proposta pela empresa seria de reduzir para 1/3, em uma economia de mais de 600 milhões de reais ao ano, segundo Peixoto. 

Além disso, o general também quer a redução no adicional noturno - para os trabalhadores do turno da noite, quando há mais riscos de acidentes no expediente. Atualmente, o adicional é de cerca de 60%. A ideia é reduzir para 20% ao da hora diurna.

Da mesma forma, a proposta também quer reduzir a licença maternidade de 180 para 120 dias e diminuir o período de amamentação, que atualmente é de uma hora em cada turno e passaria para 30 minutos. Isso vale para as mães com filhos com até seis meses de idade.

O general ainda propôs extinguir o pagamento de multas dos funcionários, o vale cultura, o transporte noturno e a indenização por morte ou invalidez.

Ele justifica as medidas em nome de manter em ordem a economia da empresa e evitar a privatização

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247