Comissão da Verdade de São Paulo convoca Brilhante Ustra

O coronel reformado é acusado de comandar práticas de tortura contra presos políticos durante o regime militar no Brasil

Comissão da Verdade de São Paulo convoca Brilhante Ustra
Comissão da Verdade de São Paulo convoca Brilhante Ustra (Foto: Divulgação)

A Comissão da Verdade da Câmara Municipal de São Paulo aprovou na segunda-feira (27) a convocação do coronel reformado Carlos Alberto Brilhante Ustra, ex-chefe do Doi-Codi, principal órgão de repressão da ditadura militar (1964-85). Ustra é acusado de promover atos de tortura contra presos políticos enquanto comandava a unidade – acusação negada pelo militar, que alega nunca ter participado diretamente de abusos.

O vereador Gilberto Natalini (PV), ex-preso político e integrante a comissão, diz ter sido torturado por Ustra. "Ele me bateu durante várias horas e me obrigou a declamar poesias nu e diante dos soldados para me humilhar", disse Natalini. "Ele me batia com uma vara de cipó de um metro e meio de comprimento. Tive que ficar equilibrado com os pés em cima de latas de leite em pó. Também sofri choques elétricos. Tudo pelas mãos dele".

No último dia 14, numa decisão inédita, o Tribunal de Justiça de São Paulo confirmou sentença de primeira instância que reconheceu Ustra como torturador. Ainda cabe recurso à decisão.

A comissão também aprovou um convite para ouvir o ex-ministro da Fazenda Delfim Netto. Ele foi um dos signatários do AI-5, ato institucional de 1969 que endureceu o regime e instituiu a censura prévia no Brasil.
Com informações da Folha de S.Paulo

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247