Condenado por parcialidade, Moro corteja advogados e diz que não seguirá carreira política

Condenado pela parcialidade contra o ex-presidente Lula, Sérgio Moro não pretende retornar à política e focará seu trabalho na consultoria americana Alvarez & Marsal. "Moro está mais queimado do que borda de pizza", disse um advogado

Sérgio Moro
Sérgio Moro (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - Condenado pelo Supremo Tribunal Federal por causa da parcialidade nos processos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e, segundo o jornal Le Monde, tendo atuado a serviço dos interesses americanos, o ex-juiz Sérgio Moro não seguirá a carreira política e focará no trabalho pela consultoria americana Alvarez & Marsal, onde foi rebaixado de sócio-diretor a mero consultor. A informação foi publicada pela Revista Piauí.

Em reunião com membros de um dos maiores escritórios de advocacia do País, o Tozzini Freire, o ex-juiz disse que seu foco será em investigações internas de empresas estrangeiras com filiais no Brasil. Uma mudança de carreira, após ter destruído mais de 4 milhões de empregos quando integrava Operação Lava Jato, de acordo com estudo feito pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e pela Central Única dos Trabalhadores (CUT).

"A marca Moro hoje é maior do que a Alvarez & Marsal e isso por si só pode ser complicado", afirmou um advogado que pediu à revista para não se identificar porque alguns de seus clientes também trabalham com a Alvarez & Marsal. "A notoriedade dele pode levar um cliente a temer que os jornais noticiem, por exemplo, que seus executivos tiveram celulares e computadores apreendidos em uma análise por corrupção interna", complementou.

PUBLICIDADE

De acordo com o mesmo advogado, "a verdade é que Moro está mais queimado do que borda de pizza". "Ele não tem apelo junto a lulistas, nem a bolsonaristas, nem a garantistas", disse.

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email