Congresso articula volta das doações empresariais, causa maior da corrupção

Deputados e senadores pretendem aproveitar os problemas para conseguir arrecadar recursos destinados às eleições municipais deste ano, uma vez que o financiamento empresarial está proibido, para aprovar um projeto que permita o retorno deste tipo de doação; "Não dá para tirar o financiamento empresarial sem colocar algo no lugar", disse o líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB)

Deputados e senadores pretendem aproveitar os problemas para conseguir arrecadar recursos destinados às eleições municipais deste ano, uma vez que o financiamento empresarial está proibido, para aprovar um projeto que permita o retorno deste tipo de doação; "Não dá para tirar o financiamento empresarial sem colocar algo no lugar", disse o líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB)
Deputados e senadores pretendem aproveitar os problemas para conseguir arrecadar recursos destinados às eleições municipais deste ano, uma vez que o financiamento empresarial está proibido, para aprovar um projeto que permita o retorno deste tipo de doação; "Não dá para tirar o financiamento empresarial sem colocar algo no lugar", disse o líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB) (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A volta do financiamento empresarial de campanhas eleitorais voltou à pauta de discussões do Congresso Nacional. Deputados e s senadores pretendem aproveitar os problemas para conseguir arrecadar recursos nesta eleição, uma vez que o financiamento empresarial está proibido, para aprovar um projeto que permita o retorno deste tipo de arrecadação.

A possibilidade do retorno do financiamento empresarial voltou à baila ainda em agosto, quando os partidos observaram que o volume de doações por parte de pessoas físicas fico aquém do previsto. Segundo o jornal o Estado de São Paulo, 28% dos candidatos de todo o país não conseguiram arrecadar sequer R$ 1,00 até o momento.

"O Congresso, após a experiência dessa eleição, vai ter que decidir sobre isso. Não dá para tirar o financiamento empresarial sem colocar algo no lugar", disse o líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB).

Os parlamentares favoráveis ao retorno do financiamento empresarial pretendem apresentar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), que já foi já foi aprovada pela Câmara em meados do ano passado. A PEC é considerada necessária uma vez que o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou o financiamento empresarial como inconstituciona.

O financiamento empresarial foi considerado inconstitucional pelo STF em setembro de 2015, em meio as ações da Operação Lava Jato, que apontou que as empreiteiras investigadas haviam doado cerca de 40% do total arrecadado para os maiores partidos políticos em atividade no país, PT, PMDB, e PSDB.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email