Cunha apresentará queixa-crime contra deputados que o criticaram

"Encarei como uma provocação, no intuito de me constranger, para ver se eu correspondia e cancelava a votação. Aqueles que passaram do limite e foram para a ofensa pessoal, eu vou estudar a possibilidade de entrar com queixa-crime", disse o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB); além de referências às acusações que pesam contra si na Operação Lava Jato, Cunha chegou a ser chamado de "gângster", "ladrão" e "golpista"

"Encarei como uma provocação, no intuito de me constranger, para ver se eu correspondia e cancelava a votação. Aqueles que passaram do limite e foram para a ofensa pessoal, eu vou estudar a possibilidade de entrar com queixa-crime", disse o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB); além de referências às acusações que pesam contra si na Operação Lava Jato, Cunha chegou a ser chamado de "gângster", "ladrão" e "golpista"
"Encarei como uma provocação, no intuito de me constranger, para ver se eu correspondia e cancelava a votação. Aqueles que passaram do limite e foram para a ofensa pessoal, eu vou estudar a possibilidade de entrar com queixa-crime", disse o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB); além de referências às acusações que pesam contra si na Operação Lava Jato, Cunha chegou a ser chamado de "gângster", "ladrão" e "golpista" (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um dia após ser alvo de ataques de deputados no plenário da Câmara durante a votação do impeachment de Dilma Rousseff, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou nesta segunda-feira (18), a intenção de apresentar queixas-crime contra esses parlamentares.

"Encarei como uma provocação, no intuito de me constranger, para ver se eu correspondia e cancelava a votação. Aqueles que passaram do limite e foram para a ofensa pessoal, eu vou estudar a possibilidade de entrar com queixa-crime", disse.

Além de referências às acusações que pesam contra si na Operação Lava Jato, Cunha chegou a ser chamado de "gângster", "ladrão" e "golpista".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247