Delcídio pedirá quebra de sigilo telefônico de filho de Cerveró

"Quero saber como e quem industriou o Bernardo. Só o Supremo poderia autorizar [a gravação da reunião com Delcídio]", afirmou Antônio Figueiredo Basto, advogado do  senador Delcídio do Amaral (PT-MS), sobre o filho do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, Bernardo, responsável pela gravação da conversa que levou à prisão do parlamentar; defesa argumentará que a prisão deu-se por "meio enganoso de prova"; "Isso ocorre quando infiltram uma pessoa para te provocar e gravar o que você diz, atacando o direito ao silêncio. O áudio foi feito sem autorização judicial e por uma pessoa que sequer é parte no processo, o Bernardo"

"Quero saber como e quem industriou o Bernardo. Só o Supremo poderia autorizar [a gravação da reunião com Delcídio]", afirmou Antônio Figueiredo Basto, advogado do  senador Delcídio do Amaral (PT-MS), sobre o filho do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, Bernardo, responsável pela gravação da conversa que levou à prisão do parlamentar; defesa argumentará que a prisão deu-se por "meio enganoso de prova"; "Isso ocorre quando infiltram uma pessoa para te provocar e gravar o que você diz, atacando o direito ao silêncio. O áudio foi feito sem autorização judicial e por uma pessoa que sequer é parte no processo, o Bernardo"
"Quero saber como e quem industriou o Bernardo. Só o Supremo poderia autorizar [a gravação da reunião com Delcídio]", afirmou Antônio Figueiredo Basto, advogado do  senador Delcídio do Amaral (PT-MS), sobre o filho do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, Bernardo, responsável pela gravação da conversa que levou à prisão do parlamentar; defesa argumentará que a prisão deu-se por "meio enganoso de prova"; "Isso ocorre quando infiltram uma pessoa para te provocar e gravar o que você diz, atacando o direito ao silêncio. O áudio foi feito sem autorização judicial e por uma pessoa que sequer é parte no processo, o Bernardo" (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) vai pedir a quebra do sigilo telefônico do filho do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, Bernardo, responsável pela gravação da conversa que levou à prisão do parlamentar, em novembro.

"Podemos e vamos pedir essa quebra. Quero saber como e quem industriou o Bernardo. Só o Supremo poderia autorizar [a gravação da reunião com Delcídio]", afirmou Antônio Figueiredo Basto, advogado do senador.

No áudio, o ex-líder do governo no Senado sugeriu influência sobre ministros do STF para garantir a liberdade de Cerveró e chegou a tratar de uma eventual fuga do ex-diretor.

Segundo Basto, a defesa argumentará que a prisão deu-se por "meio enganoso de prova". "Isso ocorre quando infiltram uma pessoa para te provocar e gravar o que você diz, atacando o direito ao silêncio. O áudio foi feito sem autorização judicial e por uma pessoa que sequer é parte no processo, o Bernardo".

Leia aqui reportagem de Gabriel Mascarenhas sobre o assunto.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247