Delegados da Lava Jato são mantidos no novo Coaf

Entre os integrantes do antigo Coaf, agora rebatizado como Unidade de Inteligência Financeira (UIF), então os delegados da Polícia Federal Erika Marena e Márcio Anselmo. Marena foi a delegada responsável pela Operação Ouvidos Moucos, que levou ao suicídio do reitor da UFSC Luiz Carlos Cancellier, após este ser acusado, sem provas, de desvios na instituição

Delegada Erika Marena é cotada para chefiar a Polícia Federal
Delegada Erika Marena é cotada para chefiar a Polícia Federal (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente do  Banco Central, Roberto Campos Neto, decidiu manter os delegados da Lava Jato e demais integrantes no antigo Conselho de Controle de Atividades Financeiras, o Coaf, agora rebatizado como Unidade de Inteligência Financeira (UIF).

Jair Bolsonaro editou medida provisória dando poder ao presidente do Banco Central para escolher os nomes do conselho. Os conselheiros terão poder para aplicar sanções a instituições e pessoas físicas envolvidas em lavagem de dinheiro. Os integrantes do órgão foram indicados pelo ministro da Justiça Sergio Moro, quando o Coaf estava sob o comendo do ministério.

Entre os indicados, estão os delegados da Polícia Federal Erika Marena e Márcio Anselmo. Marena, por exemplo, foi a delegada responsável pela Operação Ouvidos Moucos, que levou ao suicídio do reitor da UFSC Luiz Carlos Cancellier, após este ser acusado, sem provas, de desvios na instituição.

Com informações do jornal O Globo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email