Desabafo

Aplaudo o movimento, a reação, o protesto, como forma de expressar insatisfação, indignação e desejo de mudança. Mas quero a pauta maior. Quero mais!

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Aplaudo o movimento, a reação, o protesto, como forma de expressar insatisfação, indignação e desejo de mudança.

Eu também quero muito combater a corrupção, a impunidade, a falta de vergonha de ser desonesto.

Quero acabar com a cara-de-pau generalizada!

Amaria ter uma repaginação coletiva de mentalidade.

Quero nossas cabeças mais comprometidas com o que é de todos, com a coletividade, o que é público é de todos e não se deve levar vantagem sobre ninguém, e sim proporcionar o que se puder de vantajoso à coletividade como parte integrante dela.

A sociedade tem regras, escritas ou não que devem, a princípio, ser cumpridas. Para isso precisamos acreditar em quem faz as leis e quem as fiscaliza. Chega de se achar que porque a lei é injusta, se pode burlá-la.

Quero respeito ao cidadão, ao contribuinte, ao idoso, á criança, ás minorias diversas. Quero uma epidemia de respeito neste país.

Quero dedicar menos tempo falando dos vândalos e mais tempo discutindo novas possibilidades de se governar esse país!

Quero assistir a sensacional mídia Ninja registrando os nossos fossos sociais, os nossos desenganas nas zonas menos favorecidas.

Quero denunciar a dor da fantasmagórica distribuição de riquezas desse país.

Mas quero a pauta maior. Quero mais!

A corrupção tem que acabar (não sei se no campo da humanidade isso é possível de verdade, mas sei que podemos reduzir a índices bem mais baixos) até pra que haja espaço pro que pra mim importa MUITO mais.

Me sinto vintage falando assim. Mas de verdade, QUIS, QUERO e continuo QUERENDO menos desigualdade social e mais oportunidades para todos.

Quero diminuir a fome e a miséria, sim.

Quero oportunidade de CAMA, ESGOTO, TETO, FEIJÃO, LIVRO, AULA DE QUALIDADE, MÉDICO E REMÉDIO para absolutamente todos.

Passar pela calçada do meu bairro e ver gente dormindo na rua (abaixo do emblemático graffiti do Cabral) me incomoda de verdade.

Talvez eu tenha nascido com o chip da empatia mais bombado. Não fico bem. Romântica? Idealista? Sim, com muito orgulho!

Felicidade só é possível quando se tem as necessidades básicas à mão. Gosto de viver bem e quero continuar vivendo. Luto e suo a camisa pra isso. Não preciso de tanto. Não preciso contabilizar riqueza. Seria tempo a menos pra levar meus hobbies a sério.

Quero viver com o suficiente pra fazer valer a minha existência e quero que mias pessoas possam ter essa sensação. Se no futuro o Google ainda for o que é (ou haja ferramenta ainda melhor), quem estará lá na busca é quem pesquisou, descobriu, inventou, produziu, criou, patenteou, inovou. Quero menos consumismo e mais diversão que dinheiro não compra.

Quero um Estado que cuide de todos, sim.

Quero o Sol pra todos.

Dizem por aí que quero o mesmo que Deus. Tomara Ele, com a ajuda de todos os seu seguidores, consiga. Que seus devotos comprem essa ideia.

Perdoem pelo desabafo.

Ando meio desacreditada no ser humano, mas, paradoxalmente e apaixonadamente, eu continuo querendo mudar o mundo!

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247