Descaso frente à pandemia aumenta desconforto entre militares com governo Bolsonaro

"Ter militares no governo não pode ser confundido com ter o apoio institucional das Forças Armadas", disse o general Sérgio Etchegoyen, que foi ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) do governo de Michel Temer

Escândalo viaja com Bolsonaro a Davos
Escândalo viaja com Bolsonaro a Davos (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Entrevistas com generais do alto escalão da ativa e da reserva mostram que integrantes das Forças Armadas, que inicialmente viam a participação no governo Bolsonaro como uma chance de moldar a política depois de anos à margem das decisões de poder, agora se preocupam com o comportamento errático de Jair Bolsonaro.

É o que aponta reportagem de Simone Iglesias, Samy Adghirni e Andrew Rosati, da Bloomberg, confirmando as críticas feitas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, que criticou duramente as Forças Armadas, por participarem do desmonte do Ministério da Saúde, em plena pandemia de coronavírus e afirmou que o "Exército está se associando a esse genocídio, não é razoável".

Para os militares ouvidos pela reportagem, a crise de saúde causada pela pandemia de coronavírus ameaça afetar a imagem dos militares junto à opinião pública e que há um crescente desconforto entre as fileiras, inclusive entre integrantes do próprio governo Bolsonaro.

"Ter militares no governo não pode ser confundido com ter o apoio institucional das Forças Armadas", disse o general da reserva Sérgio Etchegoyen, que foi ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) do governo de Michel Temer.

Segundo ele, "essa falta de entendimento gera incômodo e há uma preocupação em manter uma distância fitossanitária do governo".

Outro general ouvido foi Carlos Alberto dos Santos Cruz, que foi ministro de Bolsonaro ocupando a Secretaria de Governo da Presidência. Deixou o cargo depois de entrar em confronto com os filhos de Bolsonaro.

"O estilo do presidente, a maneira de governar com grupos ideológicos radicais acabam arrastando a imagem do Exército para [um desgaste]... As Forças Armadas têm prestígio muito alto perante a sociedade e participar do governo transfere esse prestígio para o governo", disse Santos Cruz. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247