Dilma despede-se de Márcio Thomaz Bastos

Presidente compareceu nesta tarde ao velório do advogado e ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, falecido hoje de manhã; Dilma não falou com jornalistas e permaneceu por cerca de uma hora junto com os parentes dele na Assembleia Legislativa de São Paulo, onde o corpo é velado; "O Brasil perdeu um grande homem", disse o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, em nome do governo

Presidente compareceu nesta tarde ao velório do advogado e ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, falecido hoje de manhã; Dilma não falou com jornalistas e permaneceu por cerca de uma hora junto com os parentes dele na Assembleia Legislativa de São Paulo, onde o corpo é velado; "O Brasil perdeu um grande homem", disse o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, em nome do governo
Presidente compareceu nesta tarde ao velório do advogado e ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, falecido hoje de manhã; Dilma não falou com jornalistas e permaneceu por cerca de uma hora junto com os parentes dele na Assembleia Legislativa de São Paulo, onde o corpo é velado; "O Brasil perdeu um grande homem", disse o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, em nome do governo (Foto: Aline Lima)

Bruno Bocchini - Repórter da Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff compareceu na tarde de hoje (20) ao velório do advogado e ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, falecido no período da manhã. A presidenta não falou com jornalistas e permaneceu por cerca de uma hora junto com os parentes dele na Assembleia Legislativa em São Paulo, onde o corpo é velado.

Dilma pediu para o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, falar em nome do governo. "O Brasil perdeu um grande homem. Um homem que lutou para a democracia, um homem que transformou o Ministério da Justiça, criando a possibilidade de nós termos uma Polícia Federal autônoma e republicana", destacou.

"O Brasil perde uma grande referência na área jurídica. Nós perdemos um grande amigo e uma pessoa que, sem sombra de dúvidas, será insubstituível para todos nós de uma geração que convivemos com ele", ressaltou.

Por meio de nota, o ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, disse que o país perde um grande defensor dos valores democráticos e do Estado Democrático de Direito. "Convivemos juntos como ministros durante o primeiro mandato do ex-presidente Lula, período em que testemunhei as iniciativas inovadoras de Bastos para garantir a qualidade, a autonomia e a transparência da Justiça e de instituições como a Polícia Federal", escreveu.

Thomaz Bastos morreu na manhã de hoje (20), aos 79 anos. Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês para tratamento de descompensação de fibrose pulmonar, de acordo com boletim médico do hospital do dia 18. Bastos foi ministro do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre os anos 2003 e 2007.

* Colaborou Paulo Victor Chagas

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247