Dono da Rodrimar ingressa com pedido de habeas corpus no STF

Empresário Antonio Celso Grecco, dono do grupo Rodrimar, preso nesta quinta-feira (29) pela Polícia Federal no âmbito da Operação Skala, que apura o pagamento de propinas a Michel Temer por meio da edição do chamado decreto dos portos, ingressou com um habeas corpus junto ao Supremo Tribunal Federal (STF); ministra do STF Rosa Weber foi sorteada para ser a relatora; outras duas pessoas próximas a Temer, o advogado José Yunes e o coronel João Baptista Lima Filho, também já enviaram petições semelhantes ao STF

Dono da Rodrimar ingressa com pedido de habeas corpus no STF
Dono da Rodrimar ingressa com pedido de habeas corpus no STF (Foto: Reprodução/GloboNews)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O empresário Antonio Celso Grecco, dono do grupo Rodrimar, preso nesta quinta-feira (29) pela Polícia Federal no âmbito da Operação Skala, que apura o pagamento de propinas a Michel Temer por meio da edição do chamado decreto dos portos, ingressou com um habeas corpus junto ao Supremo Tribunal Federal (STF). A ministra do STF Rosa Weber foi sorteada para ser a relatora.

Na petição, os advogados de Grecco alegam que os elementos que embasaram a decisão do ministro do STF Luís Roberto Barroso que autorizou a Operação Skala derivam de um inquérito que foi arquivado pela ministro Marco Aurélio Mello em 2011.

"Toda a linha argumentativa usada pela PGR, conforme relata a decisão (de Barroso), se apoia em conteúdo de Inquérito Policial que se encontra arquivado por determinação do ministro Marco Aurélio, deste Supremo, e cujo desarquivamento ocorreu em completo desrespeito ao artigo 18 do Código de Processo Penal", afirmam os advogados Fabio Tofic Simantob, Maria Jamile José, Débora Gonçalves Perez e Maria Tranchesi Ortiz. Segundo ele, Grecco nem chegou a ser ouvido nesta operação.

Outras duas pessoas próximas a Temer, o advogado José Yunes e o coronel João Baptista Lima Filho, também já enviaram petições semelhantes ao STF e que deverão ser analisadas por Barroso.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247