Em seu Twitter, Monique Cheker disse que Moro foi convidado antes das eleições

Com a publicação, durante o período eleitoral, ela já mostrava saber que havia um convite de Bolsonaro para Moro e defende que ele não venha a aceitar ser ministro do governo, mas sim ministro do Supremo Tribunal Federal

Procuradora Monique Cheker será investigada a pedido de Toffoli e Gilmar
Procuradora Monique Cheker será investigada a pedido de Toffoli e Gilmar (Foto: GUSTAVO LIMA)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Dimas Roque, em seu blog - Envolvida em polemica desde os últimos vazamentos feitos pelo Site The Intercept, a procuradora federal, Monique Cheker, tentou desqualificar as denúncias de suas conversas com o, também, procurador, Deltan Dallagnou.

As publicações mostram duras críticas feitas por ela ao então juiz da Lava jato, Sérgio Moro, caso aceitasse a indicação para ser o ministro da justiça do futuro governo Bolsonaro. O que aconteceu.

Mas Monica não ficou só nos bate papos pelo aplicativo Telegram.Em outubro de 2018, em sua conta no Twitter, ela escreveu, “Essa proposta do presidente @jairbolsonaro de chamar o juiz Sergio Moro para o MJ já havia surgido antes das eleições? O prometido antes não era chamá-lo ao STF? Chamar o juiz para o MJ exigirá sua exoneração do cargo. Difícil né? O cumprimento da primeira promessa é melhor”.

Com a publicação, durante o período eleitoral, ela já mostrava saber que havia um convite de Bolsonaro para Moro e defende que ele não venha a aceitar ser ministro do governo, mas sim ministro do Supremo Tribunal Federal.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247