Em sua bajulação a Trump, Bolsonaro faz live para assistir discurso e dispara mentira sobre Lula

Bolsonaro fez uma live nas redes sociais na qual aparece assistindo ao pronunciamento de Donald Trump sobre o conflito com o Irã. Ao final do discurso, Bolsonaro disse que Lula incentivou o Irã a enriquecer urânio. No entanto, em 2002, o ex-presidente foi responsável pelo acordo entre o Irã e a Turquia, que impunha estrita vigilância sobre o programa nuclear

Bolsonaro faz live para assistir discurso de Trump
Bolsonaro faz live para assistir discurso de Trump (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em mais uma demonstração de subserviência aos EUA, Jair Bolsonaro fez uma transmissão ao vivo pela sua página no Facebook, enquanto assistia, pela GloboNews, o pronunciamento do presidente norte-americano, Donald Trump.

Após o discurso de Trump, Bolsonaro mentiu ao dizer que o governo do PT defendeu enriquecimento de urânio pelo Irã e atacou o ex-presidente Lula. Entenda sobre a articulação do acordo na entrevista concedida nesta terça-feira pelo chanceler à época, Celso Amorim, à TV 247.

Na sua estratégia revisionista da história, Bolsonaro espalha fake news ao tentar transformar o acordo construído pelo governo Lula, em 2010, entre o Irã e a Turquia, que impunha estrita vigilância sobre o programa nuclear iraniano. O acordo previa que o Irã enviasse à Turquia 1,2 mil kg de urânio de baixo enriquecimento para que fosse substituído por urânio enriquecido a 20% para ser usado em pesquisas médicas. Pelo acordo, haveria supervisão de inspetores turcos e iranianos. À época, Lula classificou o entendimento como "uma vitória da diplomacia".

Mas na versão de Bolsonaro, Lula defendeu o enriquecimento de urânio pelo governo iraniano enquanto era presidente da República.

“Queria dizer apenas uma coisa. O senhor Luiz Inácio Lula da Silva esteve no Irã e lá defendeu que aquele regime pudesse enriquecer urânio acima de 20%, que seria para fim pacífico”, disse Bolsonaro. “Nós temos que seguir as nossas leis, nós não podemos extrapolar. Mas acredito que a verdade tem que fazer parte do nosso dia a dia e que nós queremos paz no mundo", disse.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247