Entregadores de aplicativos voltam a protestar por melhores condições de trabalho

‘Breque dos apps’, movimento de quem atua para plataformas como iFood, Rappi, Uber Eats e Loggi, aconteceu neste sábado 25 em diversas capitais do País, pela segunda vez neste mês

Greve dos entregadores de aplicativos em Curitiba em 25 de julho
Greve dos entregadores de aplicativos em Curitiba em 25 de julho (Foto: Eduardo Matysiak)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ‘breque dos apps’, protesto dos entregadores de aplicativos, voltou a acontecer neste sábado (25) em diversas capitais do Brasil por melhores reivindicações de trabalho. Uma das estratégias da manifestação de hoje foi bloquear entradas e saídas de shoppings.

A paralisação ocorreu em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Porto Alegre, São Luís, Curitiba e Belo Horizonte. Além da greve, os trabalhadores, que atuam para plataformas como iFood, Rappi, Uber Eats e Loggi, pedem que usuários boicotem esses aplicativos e não realizem pedidos ao longo do dia, em apoio ao movimento.

Como no protesto anterior, em 1º de julho, entre as exigências dos entregadores estão reajuste de preços, fim de bloqueios indevidos, entrega de EPIs para trabalhar com mais segurança durante a pandemia, apoio contra acidentes, além de questionamentos sobre o programa de pontos realizado por alguns dos apps.

 

 

 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247