Escritório de Kassio Marques foi alvo do TCU por contratos emergenciais com estatal

Contratos entre um escritório de advocacia de Kassio Nunes Marques e a Companhia Enérgica do Piauí foram alvos de investigação no Tribunal de Contas da União. O TCU apontou problemas em contratos emergenciais, por dispensa de licitação, quando Kassio ainda era sócio da firma de advocacia, em 2006

Kassio Nunes
Kassio Nunes (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Contratos entre um escritório de advocacia de Kassio Nunes Marques, indicado por Jair Bolsonaro para a vaga de Celso de Mello no Supremo Tribunal Federal (STF), e a Companhia Enérgica do Piauí (Cepisa) foram alvos de investigação no Tribunal de Contas da União (TCU), informa reportagem do jornal O Estado de S. Paulo. O TCU apontou problemas em contratos emergenciais, por dispensa de licitação, quando Kassio ainda era sócio da firma de advocacia, em 2006.

A relação entre o escritório Lex Advocacia, Carvalho, Araújo & Marques - Advogados Associados e a Cepisa começa em 2002, um ano após a firma de Marques ser aberta. A Lex Advocacia foi contratada para prestar serviços jurídicos. O contrato foi sendo prorrogado nos anos seguintes sem a realização de uma licitação. No entanto, a Cepisa era uma estatal e deveria seguir a Lei de Licitações, acrescenta a reportagem.

Kassio Nunes Marques foi procurado pelo jornal O Estado de S. Paulo, mas não respondeu. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247