Facebook e Instagram seguem Twiter e excluem vídeo de Bolsonaro

"Removemos conteúdo no Facebook e Instagram que viole nossos Padrões da Comunidade, que não permitem desinformação que possa causar danos reais às pessoas", informou o Facebook em nota. Na postagem, ele defendia o fim do isolamento e recomendava a cura para o coronavírus

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: Isac Nobrega/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Seguindo o que fez o Twitter, o Facebook decidiu nesta segunda-feira (30) apagar um dos vídeos publicados por Jair Bolsonaro por promover desinformação frente à pandemia do coronavírus.

"Removemos conteúdo no Facebook e Instagram que viole nossos Padrões da Comunidade, que não permitem desinformação que possa causar danos reais às pessoas", informou o Facebook em nota.

Na gravação apagada, Bolsonaro dizia: "Eles querem trabalhar. é o que eu tenho falado desde o começo", em defesa do fim do isolamento recomendado pela Organização Mundial da Saúde em meio à pandemia do coronavírus.

Além de falar sobre o isolamento, Bolsonaro também falou sobre o hidroxicloroquina.

"Aquele remédio lá, hidroxicloroquina, está dando certo em tudo o que é lugar", disse ele. O medicamento não tem efeito comprovado cientificamente para o tratamento da doença e só é usado em casos graves e sob prescrição médica.

O Twitter apagou duas publicações da conta oficial de Bolsonaro neste domingo (29). No lugar das publicações, feitas na tarde de domingo, aparece a mensagem: "Este tweet não está mais disponível porque violou as regras do Twitter".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247