Fachin, relator da Lava Jato, abre mão de inquérito sobre Padilha e Moreira

Relatator da Lava Jato no Supremo,  decidiu abrir mão de processos que investigam os ministros Eliseu Padinha (Casal Civil) e Moreira Franco (Secretaria de Governo); a dupla é investigada por arrecadação de recursos de caixa dois para o MDB e intermediaram interesses do grupo na Secretaria de Aviação Civil  decisão de Fachin, publicada na última quinta (1º), atendeu a um pedido da defesa do ex-deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ), que também é citado na ação

Fachin, relator da Lava Jato, abre mão de inquérito sobre Padilha e Moreira
Fachin, relator da Lava Jato, abre mão de inquérito sobre Padilha e Moreira (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O inquérito que apura relatos de delatores da Odebrecht de que os ministros Moreira Franco (Secretaria de Governo) e Eliseu Padilha (Casa Civil) atuaram na arrecadação de recursos de caixa dois para o MDB e intermediaram interesses do grupo na Secretaria de Aviação Civil deve sair das mãos de Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF. Por decisão do próprio ministro, que pediu para o processo será redistribuído. Ele entendeu que os fatos não têm vínculo com a operação que está sob sua batuta.

A decisão de Fachin, publicada na última quinta (1º), atendeu a um pedido da defesa do ex-deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ), que também é citado na ação.

Os advogados de Eliseu Padilha fizeram a mesma solicitação em junho do ano passado. Na ocasião, Fachin negou. Desta vez, o ministro disse que, “melhor confrontando o objeto da petição”, entendeu que a alegação de ausência de vínculo entre as acusações e a Lava Jato —desvios na Petrobras— era correta.

As informações são da coluna Painel na Folha de S,Paulo.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247