Flávio Bolsonaro empregou família de PM monitorado pelo Coaf

O futuro senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), empregou em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro a mulher e duas filhas do ex-assessor e policial militar Fabrício Queiroz; de acordo com um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), Fabrício registrou uma movimentação atípica de R$ 1,2 milhão em suas contas bancárias no espaço de um ano; segundo Flávio Bolsonaro, "não há nada a esconder" sobre as nomeações

Flávio Bolsonaro empregou família de PM monitorado pelo Coaf
Flávio Bolsonaro empregou família de PM monitorado pelo Coaf

247 - O futuro senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), empregou em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro a mulher e duas filhas do ex-assessor e policial militar Fabrício Queiroz. De acordo com um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), ele registrou uma movimentação atípica de R$ 1,2 milhão em suas contas bancárias no espaço de um ano. Fabrício, que trabalhou junto a Flávio Bolsonaro até outubro, deverá ser nomeado para o gabinete do senador. Em uma das operações analisadas pelo Coaf, um cheque de R$ 24 mil teria tido como destinaria a futura primeira-dama Michelle Bolsonaro. (Leia sobre o assunto no Brasil 247)

Fabrício foi convidado por Flávio Bolsonaro para trabalhar em seu gabinete e, março de 2007. Desde então, segundo o colunista Lauro Jardim, de O Globo, "nunca mais saiu do lado do filho do presidente da República. Não só ele. Além de Fabrício, sua mulher, Márcia Aguiar e duas filhas, Nathália e Evelyn, também foram empregadas por Flávio Bolsonaro. Uma delas continua nomeada no gabinete".

Segundo o colunista, Márcio trabalhou como consultora parlamentar de março de 2007 até setembro de 2017, com vencimentos de R$ 9.835,63.Já a filha Nathália foi nomeada no gabinete da vice liderança do PP também em setembro de 2007 até fevereiro de 2011. O salário recebido era de R$ 6.490,35.

Entre abril e agosto de 2011, ela foi nomeada para um cargo no Departamento Taquigráfico e Debates, com vencimento bruto de R$ 2.950,66. Já em agosto de 2016, Nathália tornou-se assessora parlamentar de Flávio Bolsonaro e o salário passou para R$ 9.835,63. Evelyn, a outra filha do policial militar, foi nomeada assessora parlamentar no final de dezembro de 2016.

Segundo Flávio Bolsonaro, "não há nada a esconder" sobre as nomeações. "Na relação de confiança que tínhamos, ao longo do tempo ele pediu oportunidades de trabalho a seus familiares e eu atendi. São pessoas trabalhadoras, com uma grande rede de relacionamentos e que me trouxeram resultado político onde atuam, como Jacarepaguá, Osvaldo Cruz e São João de Meriti", disse.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247