Folha condena populismo assassino de Bolsonaro no trânsito

As medidas do governo Bolsonaro sobre o trânsito de veículos elevam a insegurança e causam ainda mais mortes. A ampliação de 20 para 40 do limite de pontos por multas que leva à suspensão da carteira de motorista, os ataques às lombadas eletrônicas e as críticas à chamada indústria das multas são exemplos de uma demagogia que pode custar muitas vidas

Folha condena populismo assassino de Bolsonaro no trânsito
Folha condena populismo assassino de Bolsonaro no trânsito
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - As medidas do governo Bolsonaro sobre o trânsito de veículos elevam a insegurança e causam ainda mais mortes. A ampliação de 20 para 40 do limite de pontos por multas que leva à suspensão da carteira de motorista, os ataques às lombadas eletrônicas e as críticas à chamada indústria das multas são exemplos de uma demagogia que pode custar muitas vidas.

Editorial do jornal Folha de S.Paulo chama a atenção para o problema, destacando que "Jair Bolsonaro (PSL) deu curso a uma espécie de populismo automobilístico que seu governo ameaça aprofundar".

De acordo com o editorial, o governo dá uma "demonstração chocante de ignorância", ao dizer que a "indústria das multas" beneficiava as empresas concessionárias de rodovias. "No mundo real, essa receita fica, conforme o caso, com órgãos federais, estaduais e municipais".

"A forma mais fácil e barata de que dispõe um governante para reduzir a violência no trânsito —que matou 37 mil no país em 2016— é baixar os limites de velocidade. Para tanto, basta uma canetada, e os efeitos logo se mostram visíveis", diz o editorial.

Leia mais

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247