Funk na lancha e vadiagem derrubaram aprovação de Bolsonaro entre os evangélicos

Jair Bolsonaro abusou e já é superado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva neste segmento

www.brasil247.com - Jair Bolsonaro gastou R$ 2,4 milhões em férias no litoral do país, entre dezembro e janeiro, em plena pandemia
Jair Bolsonaro gastou R$ 2,4 milhões em férias no litoral do país, entre dezembro e janeiro, em plena pandemia (Foto: Reprodução/Facebook)


247 – As férias de Jair Bolsonaro, seus passeios de jet-ski, seu funk na lancha ao lado de uma mulher de biquíni e sua insensibilidade enquanto a Bahia sofria com as enchentes derrubaram sua aprovação entre os evangélicos, segundo aponta a coluna política do jornal Estado de S. Paulo, nesta segunda-feira. A imagem de que Jair Bolsonaro não trabalha, não tem empatia e pensa apenas no seu bem-estar pessoal ajudaram a ampliar sua rejeição entre os evangélicos. Por isso mesmo, na mais recente pesquisa Quaest, ele apareceu com 34% de apoio, atrás do ex-presidente Lula, com 35%. De acordo com os analistas do jornal, nem mesmo a nomeação de André Mendonça, o ministro terrivelmente evangélico para o Supremo Tribunal Federal, conseguiu estancar a sangria.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email