Gilmar manda soltar 21º preso da Lava Jato no Rio

O ministro do STF Gilmar Mendes mandou soltar o empresário Arthur Pinheiro Machado, preso no âmbito da Operação Rizoma, da Polícia Federal (PF); segundo as investigações, Machado estaria envolvido em desvios nos fundos de pensão Postalis, dos Correios, e Serpros; com a concessão de habeas corpus ao empresário, o ministro libertou ao menos 21 pessoas presas pelo núcleo da Lava Jato no Rio

www.brasil247.com - Gilmar manda soltar 21º preso da Lava Jato no Rio
Gilmar manda soltar 21º preso da Lava Jato no Rio (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)


Felipe Pontes, repórter da Agência Brasil - O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou soltar o empresário Arthur Pinheiro Machado, preso no âmbito da Operação Rizoma, da Polícia Federal (PF), deflagrada em abril.

Segundo as investigações, Pinheiro Machado estaria envolvido em desvios nos fundos de pensão Postalis, dos Correios, e Serpros, da Serpro, empresa pública de tecnologia da informação.

Pinheiro Machado é conhecido, entre outras iniciativas, por ser responsável pela criação da ATG, empresa que pretende abrir uma nova bolsa de valores no Brasil.

A prisão de Pinheiro Machado havia sido determinada pela 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro, cujo titular é o juiz Marcelo Bretas. Com a concessão de habeas corpus ao empresário, o ministro libertou ao menos 21 pessoas presas pelo núcleo da Lava Jato no Rio.

Na semana passada, Bretas enviou um ofício a Gilmar Mendes no qual pediu que o ministro considerasse a gravidade de delitos de corrupção para justificar a prisão de pessoas suspeitas.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247