Gilmar muda de posição e já admite julgar suspeição de Moro em sessão virtual

Ministro do STF Gilmar Mendes admitiu a possibilidade de julgar por videoconferência, ainda no primeiro semestre, o habeas corpus impetrado pela defesa do ex-presidente Lula que trata da suspeição do ex-juiz Sérgio Moro nos processos contra ele

(Foto: ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes admitiu a possibilidade de julgar por videoconferência, ainda no primeiro semestre, o habeas corpus impetrado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que trata da suspeição do ex-juiz Sérgio Moro. 

Segundo reportagem do jornal Valor Econômico, entre as razões para que o ministro voltasse a considerar a possibilidade de julgar o caso por meio de uma sessão virtual festão o agravamento da pandemia de Covid-19 e as incertezas do calendário de vacinação. 

O jornal destaca, ainda, que a divulgação das novas mensagens trocadas entre Moro e o ex-coordenador da força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba, o procurador Deltan Dallagnol, também reforçaram a necessidade de que o caso seja julgado o mais rapidamente possível. Até o final do ano passado, Gilmar defendia que o tema fosse discutido em sessões presenciais, por considerar que o tema era complexo demais para ser debatido à distância. 

Os diálogos trocados entre Moro e Dallagnol apontam que ele combinaram procedimentos e alinharam a atuação relacionadas às denúncias oferecidas contra Lula.  Por lei, o Poder Judiciário e o Ministério Público (MP) devem atuar de forma independente, sob pena de violar o devido processo legal.

Na primeira fase d julgamento do HC, em 2018, os ministros Edson Fachin e Cármen Lúcia votaram contra a suspeição. O caso foi paralisado após Gilmar pedir um prazo maior para analisar os detalhes da ação. 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email