Gleisi Hoffmann e as eleições: ‘nós vamos ter a voz do PT em todo o Brasil’

A deputada federal e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, afirmou que o PT está preparado para as eleições e que a militância está mobilizada. Ela diz que o partido estará na cédula de quase todas as grandes cidades brasileiras: “das 96 cidades que têm segundo turno, contando com as capitais, nós já temos candidatos e candidatas em 83. Então nós vamos ter a voz do PT em todo o Brasil”

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann, falou sobre as discussões que permeiam as atividades do Partido dos Trabalhadores neste momento pré-eleitoral e de grande crise e dor social. Ela comentou sobre o processo de escolha dos candidatos, as alianças constituídas, as votações no Congresso e a unidade das forças progressistas em torno das questões nacionais. 

Em entrevista a Gustavo Conde, editor do Brasil 247, Gleisi pontuou sobre vários assuntos e lembrou também da Vigília Lula Livre e outros momentos importantes dos últimos dois anos no país. 

Confira os trechos principais da entrevista: 

Auxílio emergencial

Nós discutimos o projeto Mais Bolsa Família. Nós brigamos muito pelo auxílio emergencial. Queríamos que o auxílio fosse até o final do ano. O governo está desdenhando disso, só prorrogou por dois meses e diz que está discutindo um outro programa de renda para substituir o Bolsa Família, que é o maior programa de renda básica do mundo e um dos mais bem avaliados e copiados por diversos países

Propostas pós-pandemia

No nosso entendimento, a hora em que a gente sair dessa pandemia, nós vamos ter uma situação muito complicada na economia brasileira. A maioria das pessoas desempregadas, a gente já tem 48% da mão de obra ativa do Brasil desempregada, a renda das pessoas caindo, muitas pessoas sem renda, então nós vamos precisar ter uma proteção rápida

Fundeb

O governo queria acabar com o Fundeb, queria enfiar esse renda brasil dentro do Fundeb e retirar dinheiro da educação. Ele lutou o tempo inteiro para não ter o Fundeb. Como o movimento da educação e muito articulado, foi uma imensa mobilização nas redes sociais, então foi uma vitória estrondosa da oposição. 

Vigília

A vigília foi um espaço muito importante. Primeiro, foi um espaço de solidariedade ao Lula, fundamental. A gente sempre dizia o seguinte: ele não vai ficar sozinho, nós vamos estar aqui. Chova, faça sol, frio. Foi uma resistência bonita. 580 dias, sempre tinha gente lá. 

Votações virtuais

Nós temos um processo de escolha que se chama prévias. Você faz uma eleição direta para o militante escolher o candidato ou a candidata. Ocorre que nesse momento de pandemia a gente não podia fazer isso, não podia reunir as pessoas, fazer as mesas de votação, ter contato, então nós optamos por fazer as eleições pelas plataformas digitais, mas num colégio menos ampliado, porque nós não temos condições de colocar 7 mil pessoas numa plataforma e nós não conseguimos ainda desenvolver um sistema. Logo [no entanto] nós vamos ter um sistema em que nós vamos ter votações virtuais. 

Jilmar Tatto

Tatto foi escolhido em um colégio eleitoral de mais de 600 militantes que formavam o diretório municipal, as direções zonais, numa plataforma e ganhou a prévia. Então, ele tem legitimidade e ele é o nosso candidato. E o Jilmar é um candidato muito qualificado porque além de ter sido o nosso deputado estadual, federal, conhece da política, é filiado ao PT desde 1981, portanto é um militante com muita trajetória no PT, foi presidente do diretório municipal de São Paulo, ele conhece muito a cidade. E vamos lembrar: ele foi secretário da Marta Suplicy, foi secretário do abastecimento, foi ele que implantou o almoço e janta nas escolas com produtor vindo direto do produtor, reorganizou as feiras livres, começou a reestruturação do Mercado Municipal, ajustou os preços para baixo dos sacolões, fez uma série de ações, organizou as subprefeituras e depois ele foi secretário de transporte e foi nessa gestão que começou uma mudança grande no Transporte, a maior delas a implantação do bilhete único e dos corredores de ônibus que, do ponto de vista da população, é muito importante.

Benedita e alianças

Benedita é uma grande companheira, uma grande amiga, uma pessoa de referência da nossa militância, fundadora do PT. A Bené morava em favela, comunidade, foi empregada doméstica, a Bené conhece a vida do povo. A Bené tem uma trajetória linda na política e sempre na defesa daquilo que ela acredita, na defesa dos mais pobres, na defesa do povo trabalhador, da mulher, das mulheres negras principalmente. 

O PT já tinha externado sua posição ao Freixo, mas aí Freixo nos surpreendeu dizendo que não seria mais candidato. E nós procuramos o Psol e que vocês apoiassem a Bené, pela trajetória, pela vida dela, mas o Psol optou por ter candidatura, o que é legítimo, e aí nós decidimos lançar Bené candidata sim, até para que a gente conte essa história bonita dela conte tudo o que ela fez pelo povo brasileiro, o legado do PT no Rio de Janeiro

PT e eleições

O partido está muito animado. Nós montamos uma tática eleitoral de ter candidaturas em um maior número possível de cidades, principalmente nas cidades que têm dois turnos. Das 96 cidades que têm segundo turno, contando com as capitais, nós já temos candidatos e candidatas em 83. Então nós vamos ter a voz do PT em todo o Brasil. E o nosso povo está muito animado. Claro que tem alguns lugares em que nós vamos fazer composição, como no caso de Porto Alegre, com a Manuela e em Belém do Pará, com Edmilson do Psol. 

Assista a entrevista de Gleisi Hoffmann na íntegra: 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247