Globo reforça guerra contra família Bolsonaro

O Grupo Globo decidiu partir para cima da família Bolsonaro e estampou logo cedo a manchete que denuncia fraudes em depósitos na conta bancária de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro; a operação de cerco aos Bolsonaro começou na terça-feira, conforme apontou matéria do 247, em que todos os veículos do Grupo de Mídia destacaram o escândalo rastreado pelo Coaf; os depósitos mensais, repetidos e de valores idênticos, feitos em dinheiro vivo, somaram R$ 55 mil, de acordo com a reportagem do jornal O Globo

Globo reforça guerra contra família Bolsonaro
Globo reforça guerra contra família Bolsonaro
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Grupo Globo decidiu partir para cima da família Bolsonaro e estampou logo cedo a manchete que denuncia fraudes em depósitos na conta bancária de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro. A operação de cerco aos Bolsonaro começou na terça-feira, conforme apontou matéria do 247, em que todos os veículos do Grupo de Mídia destacaram o escândalo rastreado pelo Coaf. Os depósitos mensais, repetidos e de valores idênticos, feitos em dinheiro vivo, somaram R$ 55 mil, de acordo com a reportagem do jornal O Globo.

Segundo a reportagem, "a conta bancária de Fabrício Queiroz , ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL), recebeu depósitos mensais de valores idênticos ou semelhantes feitos sempre nas mesmas agências bancárias e em dinheiro vivo, mostra um cruzamento de dados do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) feito pelo GLOBO. Somadas, as operações repetidas chegam a R$ 55,5 mil entre janeiro e dezembro de 2016."

A matéria acrescenta que "o relatório do Coaf apontou movimentações suspeitas feitas por servidores e ex-servidores da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) . Por si só, não configuram um ilícito. Porém, a documentação foi anexada pela força-tarefa da Lava-Jato do Rio na ação da Operação Furna da Onça, que prendeu sete deputados estaduais em novembro."

O Coaf tipifica a movimentação financeira dos assessores listados como "atípica". O órgão afirma que "foi identificada a realização de operações fracionadas em espécie". Dentre as operações, estão 59 repasses em dinheiro vivo a Queiroz, que totalizam R$ 216 mil.

Ainda segundo o Coaf, o valor que mais se repete é bastante específico: em 7 meses a conta recebeu depósitos de R$ 1.771 realizados na agência 0532 do Banco Itaú, na Rua Jardim Botânico. Os depósitos  foram feitos sempre no mesmo dia ou dias depois do pagamento de servidores da Alerj.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247