“Greve deve se transformar em luta pela soberania nacional”

O professor de Direito da Universidade Federal do Semi-Árido, Daniel Valença observa que a paralisação dos  caminhoneiros serviu para unir a Frente Brasil Popular, as centrais sindicais e os partidos de esquerda; "De imediato, nos resta recuperar a palavra de ordem 'O Petróleo é nosso', nos solidarizarmos com os caminhoneiros e, assim, preparar as condições objetivas para que a greve dos petroleiros transforme-se em greve dos brasileiros em luta pela soberania nacional", diz

O professor de Direito da Universidade Federal do Semi-Árido, Daniel Valença observa que a paralisação dos  caminhoneiros serviu para unir a Frente Brasil Popular, as centrais sindicais e os partidos de esquerda; "De imediato, nos resta recuperar a palavra de ordem 'O Petróleo é nosso', nos solidarizarmos com os caminhoneiros e, assim, preparar as condições objetivas para que a greve dos petroleiros transforme-se em greve dos brasileiros em luta pela soberania nacional", diz
O professor de Direito da Universidade Federal do Semi-Árido, Daniel Valença observa que a paralisação dos  caminhoneiros serviu para unir a Frente Brasil Popular, as centrais sindicais e os partidos de esquerda; "De imediato, nos resta recuperar a palavra de ordem 'O Petróleo é nosso', nos solidarizarmos com os caminhoneiros e, assim, preparar as condições objetivas para que a greve dos petroleiros transforme-se em greve dos brasileiros em luta pela soberania nacional", diz (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - "Agora, na paralisação dos caminhoneiros, as direções foram precisas: a Frente Brasil Popular, as centrais sindicais e os partidos de esquerda declararam apoio ao movimento, e desde o início o politizaram" escreve o professor de Direito da Universidade Federal do Semi-Árido, Daniel Valença no site Viomundo."O problema central estaria na tentativa de privatização e sucateamento da Petrobrás, bem como na política de preços de Temer, que atrela reajuste automático dos combustíveis quando da alta do dólar e do petróleo, e não nos impostos".

"De imediato, nos resta recuperar a palavra de ordem 'O Petróleo é nosso', nos solidarizarmos com os caminhoneiros e, assim, preparar as condições objetivas para que a greve dos petroleiros transforme-se em greve dos brasileiros em luta pela soberania nacional", completa.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247