Haddad: 'Democracia em Vertigem' suscita dúvidas sobre o futuro

Em artigo publicado neste sábado (29), Fernando Haddad escreve sobre o filme da diretora Petra Costa, “'Democracia em Vertigem', e faz um alerta: "Bolsonaro continua emitindo sinais de que desconhece a democracia; ou de que a despreza"

247 - Em artigo publicado na Folha de S.Paulo neste sábado (29), Fernando Haddad escreve que o filme da diretora Petra Costa, “'Democracia em Vertigem', revela um processo de debacle resultante não de um 'coup d’État' clássico, mas de uma sucessão de casuísmos e arbitrariedades que corroem as instituições por dentro e nossa capacidade subjetiva de reação". E alerta: "Bolsonaro continua emitindo sinais de que desconhece a democracia; ou de que a despreza."

Haddad cita episódios recentes, quando Bolsonaro disse "que tinha uma caneta mais poderosa do que a de Rodrigo Maia e que governaria por decreto, como tem feito". Também lembrou que o "ímpeto autoritário" do ex-capitão precisou ser parcialmente contido pelo Senado e pelo STF.

"Em outro caso, inconformado com decisão do STF que criminaliza a homofobia, Bolsonaro afirmou que indicaria à corte suprema um evangélico. Em 2017, já demonstrava nenhuma familiaridade com princípios republicanos, ao afirmar que, com ele, não tinha 'essa historinha de Estado laico' (sic) e que as minorias teriam que se curvar para as maiorias. Outras esferas sociais vão sendo afetadas. Lideranças sociais, desde sempre perseguidas por jagunços e milicianos, agora são alvo de prisões arbitrárias sem fundamento legal. A extrema direita não tem poupado sequer jornalistas conservadores, intimidados ou demitidos não por sua atuação profissional, mas pela demora em ajustarem-se aos novos tempos", escreve o ex-prefeito de São Paulo.

Haddad faz outro alerta: não é da natureza da extrema direita mover-se nos marcos da institucionalidade.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247