Haddad não é Aécio, nem Bolsonaro. Derrotado, porta-se como um democrata

"Haddad também foi criticado por eleitores dos dois lados da esfera política", diz o jornalista Ricardo Miranda; "Mas também foi muito elogiado pelo gesto digno. Até onde me lembro, isso o que Haddad fez se chama respeito à democracia. O mal está instalado, mas não adiante dar uma de avestruz. A resposta agora é na oposição, na vigilância democrática e no voto"

Haddad não é Aécio, nem Bolsonaro. Derrotado, porta-se como um democrata
Haddad não é Aécio, nem Bolsonaro. Derrotado, porta-se como um democrata (Foto: Esq.: Stuckert)

Por Ricardo Miranda, em seu blog - Jair Bolsonaro retribuiu com ironia aos cumprimentos que o candidato derrotado do PT a presidente, Fernando Haddad, lhe enviou nesta segunda-feria, 29. Pelo Twitter, Bolsonaro respondeu: “Senhor Fernando Haddad, obrigado pelas palavras! Realmente o Brasil merece o melhor”. Mais cedo, Haddad havia escrito: “Presidente Jair Bolsonaro. Desejo-lhe sucesso. Nosso país merece o melhor. Escrevo essa mensagem, hoje, de coração leve, com sinceridade, para que ela estimule o melhor de todos nós. Boa sorte!”, disse Haddad, que recusou-se a repetir o tucano golpista Aécio Neves que, desde a eleição de Dilma Rousseff, nas últimas eleições presidenciais, prometeu lutar para derruba-la- e foi o que fez com o apoio da cúpula do PSDB e do PMDB de Michel Temer e Eduardo Cunha.

Como agradar a todos é impossível, lideranças petistas, como Valter Pomar, criticaram o candidato do PT, acreditando que não deveria ter cumprimentado o candidato eleito do PSL. Haddad também foi criticado por eleitores dos dois lados da esfera política. Mas também foi muito elogiado pelo gesto digno. Até onde me lembro, isso o que Haddad fez se chama respeito à democracia. O mal está instalado, mas não adiante dar uma de avestruz. A resposta agora é na oposição, na vigilância democrática e no voto.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247