Haddad pede Fora Bolsonaro: não dá mais

Fernando Haddad afirmou, depois do caos na aplicação do Enem em meio à pandemia neste domingo, que a responsabilidade é toda do governo Bolsonaro e ressaltou mais uma vez a urgência do impeachment: “não dá mais, não dá mais!”

(Foto: Felipe L. Gonçalves/Brasil247 | ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, comentou nesta segunda-feira (18) em suas redes sociais o processo caótico de aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em meio à pandemia e ressaltou mais uma vez a urgência do impeachment de Jair Bolsonaro.

“Isso não tem nome! Que raiva enorme!Com salas cheias, candidatos foram impedidos de fazer Enem. Cada dia que passa, esse desgoverno da destruição avança sobre o país. Não dá mais. Não dá mais.”, disse Haddad. 

O ex-prefeito comentou a respeito de uma reportagem do jornal Folha de S.Paulo que revelou o caos na aplicação do exame. Candidatos foram impedidos de fazer o processo neste domingo (17) por lotação das salas de prova. Os estudantes relatam que foram barrados pelos fiscais de prova com a justificativa de que as salas já tinham atingido a capacidade máxima de participantes.

O governo ignorou diversos pedidos de pais, estudantes entidades estudantis, como a UNE e  Ubes, para que o exame fosse adiado. O ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou neste domingo (17) que a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 em meio à pandemia foi "algo vitorioso". No entanto, o índice de abstenção ficou em 51,5%.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email