‘Ignorância e estupidez foram critérios técnicos para a escolha de Salles’

"Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente acusado de fraude ambiental, sugere que Chico Mendes 'usava os seringueiros para se beneficiar'. Parece de fato que a ignorância e estupidez foram 'critérios técnicos' indispensáveis para a escolha do Ministério de Bolsonaro", afirmou o coordenador nacional do MTST, Guilherme Boulos

‘Ignorância e estupidez foram critérios técnicos para a escolha de Salles’
‘Ignorância e estupidez foram critérios técnicos para a escolha de Salles’ (Foto: Mídia Ninja)

247 - O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, criticou a escolha do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, para o cargo, após o titular da pasta questionar a importância do ex-ativista ambiental Chico Mendes.

"Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente acusado de fraude ambiental, sugere que Chico Mendes 'usava os seringueiros para se beneficiar'. Parece de fato que a ignorância e estupidez foram 'critérios técnicos' indispensáveis para a escolha do Ministério de Bolsonaro", escreveu Boulos no Twitter.

Durante a entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, Salles afirmou: "eu não conheço o Chico Mendes, escuto histórias de todos os lados. Dos ambientalistas mais ligados à esquerda, que o enaltecem. E das pessoas do agro que  dizem que ele  não era isso que contam. Dizem que usava os seringueiros pra se beneficiar". 

O jornalista Ricardo Lessa rebateu: "Se beneficiar do que? Ele é reconhecido pela ONU".

"O que importa quem é Chico Mendes agora?", respondeu o ministro.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247