Incêndio mata 2 em estação brasileira na Antártida

De acordo com a assessoria da Marinha, o incndio comeou por volta das 2h na praa de mquinas, local onde ficam os geradores de energia, e ainda no foi controlado

Incêndio mata 2 em estação brasileira na Antártida
Incêndio mata 2 em estação brasileira na Antártida (Foto: Divulgação)

Dois sargentos da Marinha morreram nesta madrugada em um incêndio que atingiu a Estação Comandante Ferraz, base científica e militar brasileira na Antártica. Havia 60 pessoas na estação, metade delas pesquisadores de universidades nacionais, que escaparam ilesos. Em nota, a Marinha não reconhece as mortes dos militares. Informa apenas que eles estão desaparecidos e que um terceiro teve ferimentos. Na nota, porém, a Marinha se define como "extremamente consternada".

O incêndio ocorreu na Praça de Máquinas, onde ficam os geradores de energia. Cientistas que estavam na estação contam que os dois sargentos não conseguiram sair do local, destruído pelas chamas. O ferido conseguiu ser resgatado por colegas da Marinha e foi levado para a base polonesa de Arctowski, próxima à brasileira, para receber os primeiros socorros. Depois, seguiu para a base chilena Eduardo Frei. Em comunicado, a Marinha garante que a vítima não apresenta risco de morte.

Os 30 cientistas, um alpinista, um representante do Ministério do Meio Ambiente e 12 funcionários do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro foram levados ao amanhecer para a base chilena, de onde seguirão possivelmente para o Chile, em Punta Arenas. Ficaram na estação apenas 12 militares da Marinha, que tentam combater o incêndio. A Marinha enviou um Navio-Polar para apoiar o trabalho dos militares. Além dele, dois navios da Marinha Argentina, dois botes da Estação polonesa e três helicópteros chilenos já estão no local do incêndio.

Já a Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou uma aeronave, que seguirá para Punta Arenas, a fim de trazer ao Brasil as pessoas que estavam na Estação. Um Inquérito Policial Militar foi instaurado para apurar as causas do acidente.

Confira a íntegra da nota à Imprensa da Marinha sobre o assunto:

A Marinha do Brasil (MB), extremamente consternada, informa que, cerca das 2h (Brasília) de hoje (25), ocorreu um incêndio na Praça de Máquinas, local onde ficam os geradores de energia, da Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF). Os 15 integrantes do Grupo-Base (militares da MB responsáveis pela manutenção e operação da EACF) prontamente iniciaram o combate ao incêndio, que ainda não foi extinto. Um militar ficou ferido e dois estão desaparecidos.

O militar ferido foi transferido para a Estação polonesa de Arctowski para receber os primeiros socorros e posteriormente para a Base chilena Eduardo Frei e seu quadro de saúde não apresenta risco de morte.

Os 30 pesquisadores, um alpinista que presta apoio às atividades de pesquisa, um representante do Ministério do Meio Ambiente e os 12 funcionários do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, que estavam na Estação no momento do incidente, foram transferidos de helicópteros chilenos para a Base chilena Eduardo Frei, de onde partirão em aeronave da Força Aérea Argentina para a cidade de Punta Arenas, no Chile. Permanecem na EACF o Chefe e parte do Grupo-Base, que trabalha no combate ao incêndio.

O Navio-Polar “Almirante Maximiano”, da MB, partiu de Punta Arenas em direção à EACF para prestar o apoio necessário.

Dois navios da Marinha da Argentina e dois botes da Estação polonesa de Arctowski estão nas imediações da EACF, apoiando as ações. Além disso, três helicópteros da Base chilena Eduardo Frei continuam prestando apoio.

A Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou uma aeronave, que seguirá para Punta Arenas, a fim de trazer de regresso ao Brasil o pessoal que estava na EACF.

Um Inquérito Policial Militar foi instaurado para apurar as causas do incidente.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247