Inocentado, Jorge Viana pede tratamento justo

 O senador Jorge Viana (PT-AC) afirmou que a presunção de inocência foi esquecida pela mídia, ao comentar o arquivamento do inquérito que tratava das contas de campanha dele e do governador Tião Viana em 2010; de acordo com o parlamentar, o País segue a marcha da insensatez, está tomando um caminho errado e a "sociedade está doente"

Inocentado, Jorge Viana pede tratamento justo
Inocentado, Jorge Viana pede tratamento justo (Foto: Ag. Senado)

247 - O senador Jorge Viana (PT-AC) afirmou que a presunção de inocência foi esquecida pela mídia, ao comentar o arquivamento do inquérito que tratava das contas de campanha dele e do governador Tião Viana em 2010. O caso foi arquivado pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, na última sexta-feira (29). Os dois foram inocentados.

"Queria que a grande imprensa nacional, na hora da absolvição, na hora do arquivamento, desse o tratamento, desse a mesma posição, ou pelo menos um pouquinho, dez por cento, do que deu divulgando, quando a gente não era investigado, não tinha sentença, não estava pagando pena", ressaltou.

De acordo com o parlamentar, o País segue a marcha da insensatez, está tomando um caminho errado e a "sociedade está doente". "A atividade política hoje é parte dessa doença, e nós todos precisamos nos curar", acrescentou.

O congressista reconheceu que os políticos devem um pedido de desculpa coletivo pelos erros cometidos, mas ressaltou que a política não é uma atividade criminosa. "Não podemos ser sentenciados como tal", disse.

"Ninguém faz o que muitos aqui fizeram e que eu tentei fazer, um bom trabalho na prefeitura, um bom trabalho no governo, se não trabalhar honestamente", complementou. "Tenho me esforçado para ser um bom senador, mas de que adianta você estar nos lugares e as pessoas o olharem com um ar de desconfiança ou de condenação?", questionou.

Segundo o parlamentar, o STF confirmou o que ele e o governador declararam em várias ocasiões: inocência. "Não é nada fácil, mas venho dar satisfação a todos aqueles que estavam em dúvida", disse. "E trago também um exemplo: será que é assim que devemos proceder? Transformar um questionamento em acusação, essa acusação em sentença, e destruir, às vezes, um nome, uma história, uma vida?", questionou.

O senador lamentou que a família tenha sofrido tanto desde que as primeiras denúncias surgiram, ainda no ano passado. "Lamentavelmente, meu pai não está aqui para ver que a mais alta Corte de Justiça do país sentenciou que nem o Tião nem eu temos contas a acertar com a Justiça", ressaltou.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247