Invasores de terra indígena cercam base de fiscalização ambiental no Pará

Os manifestantes que ocupam ilegalmente a Terra Indígena Apyterewa, no sul do Pará, cercaram uma base de fiscalização ambiental utilizada pelo Ibama, Funai e Força Nacional; o grupo é composto por produtores rurais que ocupam ilegalmente o território e que estão insatisfeitos com seu plano de remoção do local; tal remoção, no entanto, não se deve à proteção ambiental, mas sim à um mandado da justiça devido à construção da usina de Belo Monte

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um grupo de invasores da Terra Indígena Apyterewa, no sul do Pará, realizam neste momento um cerco à uma base de fiscalização ambiental utilizada pelo Ibama, Funai e Força Nacional. Relatou-se instâncias de hostilização e o incendiamento de uma ponte de acesso à terra indígena. 

As informações foram reveladas na coluna de Rubens Valente no Uol.

Servidores tiveram de retornar à base após sofrerem uma “emboscada” que contou com tiros para o alto e o serramento da ponte de acesso. Até o momento, se encontram impedidos de entrar e sair do local.

“Vocês tá trabalhando pro Lula ainda, é? O Lula já foi, rapaz”, disse um morador à equipe do Ibama, conforme um vídeo gravado no local. 

A coluna de Valente apurou que o movimento se deve ao fato de que, para a construção da usina de Belo Monte, estes invasores teriam de ser retirados da terra indígena, o que foi apoiado pela justiça. Apesar da conclusão da obra em 2016, no entanto, a remoção nunca foi cumprida integralmente.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247