Irmã de Santa Cruz pede o impeachment de Bolsonaro: ‘Figura absurda que só nos dá vergonha’

Rosalina Santa Cruz, irmã de Fernando Santa Cruz, assassinado pela ditadura militar, relembra seus últimos momentos com o irmão e também defende o impeachment de Bolsonaro; ‘Figura absurda que só nos dá vergonha’

Rosalina Santa Cruz247
Rosalina Santa Cruz247 (Foto: 247)

Tutameia -  Era sábado de Carnaval e a família foi à praia do Leme, no Rio. Estavam todos muito alegres. “Nunca imaginei que ali fosse uma despedida”, lembra Rosalina Santa Cruz ao falar ao TUTAMÉIA de seu irmão Fernando Santa Cruz. Estudante de direito, ele bateu ponto no trabalho até a sexta. Naquele 23 de fevereiro de 1974 o jovem pai de Felipe Santa Cruz, atual presidente da OAB, desapareceu. Foi assassinado pela ditadura militar.

“Fernando foi levado a um campo de extermínio”, afirma Rosalina. Conforme o relato do delegado Cláudio Guerra, o corpo de Fernando foi incinerado na caldeira de uma usina em Campos (RJ). O proprietário do lugar cedia suas instalações em troca de financiamento. “Nem as cinzas sobraram”, fala a irmã. Documentos das Forças Armadas confirmaram a prisão, e a União reconheceu sua responsabilidade na morte de Fernando.

Por tudo isso, quando Jair Bolsonaro ataca a memória de Fernando, Rosalina declara: “São mentiras. É absurdo Bolsonaro dizer que Fernando não foi preso. Ele é incapaz de provar. Precisa esclarecer o que está dizendo. É uma irresponsabilidade o presidente da República fazer uma entrevista numa barbearia, à tarde, falando essas barbaridades, tendo uma postura que o Hitler teve, numa barbearia também”.

E segue: “Ficamos indignados, porque somos uma família que lutou muito para que o caso de Fernando fosse esclarecido. Temos muito orgulho da nossa participação, da nossa vida política. Somos pessoas do bem. Bolsonaro é um indivíduo que enaltece a tortura, um crime contra a humanidade. É um indivíduo do ódio, do mal. Fico indignada que ele, para atingir o Felipe, um opositor político dele, seja capaz de recorrer a uma prisão de um jovem reconhecidamente feita pelo Estado. O próprio Estado nos pediu desculpas, nos deu anistia, mostrando que o que fazíamos não era um crime, mas um ato de defesa, de justiça, de querermos uma sociedade livre e democrática, coisa que ele não quer”.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247