Joesley e Marcelo Miller viram réus por corrupção

Ex-procurador da República Marcello Miller é acusado receber oferta de vantagem indevida de R$ 700 mil para ajudar o J&F a obter informações para fechar acordo de delação; segundo a acusação, Joesley Batista e o ex-diretor jurídico da JBS Francisco de Assis e Silva ofereceram a promessa de vantagem indevida  

Ex-procurador da República Marcello Miller é acusado receber oferta de vantagem indevida de R$ 700 mil para ajudar o J&F a obter informações para fechar acordo de delação; segundo a acusação, Joesley Batista e o ex-diretor jurídico da JBS Francisco de Assis e Silva ofereceram a promessa de vantagem indevida
 
Ex-procurador da República Marcello Miller é acusado receber oferta de vantagem indevida de R$ 700 mil para ajudar o J&F a obter informações para fechar acordo de delação; segundo a acusação, Joesley Batista e o ex-diretor jurídico da JBS Francisco de Assis e Silva ofereceram a promessa de vantagem indevida   (Foto: Leonardo Lucena)

247 - A Justiça Federal do Distrito Federal aceitou denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal contra o ex-procurador da República Marcello Miller e o empresário Joesley Batista.

Miller é acusado receber oferta de vantagem indevida de R$ 700 mil para ajudar o J&F (grupo do qual a JBS faz parte) a obter informações para fechar acordo de delação premiada. Segundo a acusação, Joesley Batista e o ex-diretor jurídico da JBS Francisco de Assis e Silva ofereceram promessa de vantagem indevida a Miller e à advogada Esther Flesch "para que o primeiro, ainda que potencialmente, praticasse atos de ofícios em seu favor".

A advogada Esther Flesch e o ex-diretor também se tornaram réus.

A Polícia Federal concluiu na semana passada que Marcello Miller ajudou na delação, mas não interferiu na produção de provas, nem orientou Joesley durante as gravações espontâneas realizadas pelo empresário.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247