Joesley e Marcelo Miller viram réus por corrupção

Ex-procurador da República Marcello Miller é acusado receber oferta de vantagem indevida de R$ 700 mil para ajudar o J&F a obter informações para fechar acordo de delação; segundo a acusação, Joesley Batista e o ex-diretor jurídico da JBS Francisco de Assis e Silva ofereceram a promessa de vantagem indevida  

Ex-procurador da República Marcello Miller é acusado receber oferta de vantagem indevida de R$ 700 mil para ajudar o J&F a obter informações para fechar acordo de delação; segundo a acusação, Joesley Batista e o ex-diretor jurídico da JBS Francisco de Assis e Silva ofereceram a promessa de vantagem indevida
 
Ex-procurador da República Marcello Miller é acusado receber oferta de vantagem indevida de R$ 700 mil para ajudar o J&F a obter informações para fechar acordo de delação; segundo a acusação, Joesley Batista e o ex-diretor jurídico da JBS Francisco de Assis e Silva ofereceram a promessa de vantagem indevida   (Foto: Leonardo Lucena)

247 - A Justiça Federal do Distrito Federal aceitou denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal contra o ex-procurador da República Marcello Miller e o empresário Joesley Batista.

Miller é acusado receber oferta de vantagem indevida de R$ 700 mil para ajudar o J&F (grupo do qual a JBS faz parte) a obter informações para fechar acordo de delação premiada. Segundo a acusação, Joesley Batista e o ex-diretor jurídico da JBS Francisco de Assis e Silva ofereceram promessa de vantagem indevida a Miller e à advogada Esther Flesch "para que o primeiro, ainda que potencialmente, praticasse atos de ofícios em seu favor".

A advogada Esther Flesch e o ex-diretor também se tornaram réus.

A Polícia Federal concluiu na semana passada que Marcello Miller ajudou na delação, mas não interferiu na produção de provas, nem orientou Joesley durante as gravações espontâneas realizadas pelo empresário.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247